Receita Federal reforça parceria com UFRRJ em projetos que visam inclusão digital e cidadania

Em palestra realizada na quarta-feira (8) a analista tributária da Receita Federal do Brasil (RFB) e que também é representante regional de Cidadania Fiscal na 7ª Região Fiscal (RJ e ES), Carolina Rique Nepomuceno de Freitas, falou sobre as possibilidades de reforçar a parceria com a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), com o maior aproveitamento de material apreendido pela Alfândega do Porto de Itaguaí em projetos desenvolvidos nos diversos institutos da universidade, como o que já ocorre com o aproveitamento das chamadas TV Box para sua transformação em computadores destinados à própria universidade e a comunidade como o Quilombo da Ilha da Marambaia, em Mangaratiba.

Carolina Rique reforçou a parceria falando sobre projetos voltados para a cidadania fiscal nas universidades, citando exemplos como os projetos “Eu sou cidadão solidário”, “Mulher Cidadã” e “Receita Cidadã”, além do Núcleo de Apoio Contábil e Fiscal (NAF) desenvolvido pela Receita Federal em parceria com instituições de ensino, com objetivo de oferecer serviços contábeis e fiscais gratuitos para cidadãos e pequenas empresas. Segundo ela, o NAP pode ter diversas outras aplicações, de acordo com as necessidades e atividades de cada instituição.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
O professor Robson Mariano mostra os equipamentos destinados à comunidade quilombola da Ilha da Marambaia, e que vão funcionar sob supervisão de Rômulo Rosa (de azul), estudante de Administração na UFRRJ

REITOR DA UFRRJ MARCOU PRESENÇA

A palestra “Cidadania Fiscal e as Universidades” foi realizada no Auditório da Biblioteca Central da UFRRJ, no câmpus Seropédica, reunindo servidores da própria RFB; o reitor e o vice-reitor da UFRRJ, Roberto Rodrigues e César Da Ros, respectivamente; a pró-reitora de Graduação, Nidia Majerowicz; a pró-reitora de Extensão, Rosa Mendes; além de diretores de institutos e o diretor do Instituto de Ciências Exatas (ICE), professor Robson Mariano da Silva, que foi o organizador do evento e é um dos grandes entusiastas da parceria, que ele ajuda a tocar, envolvendo alunos de Matemática, Administração, Administração no Campo e Ciências Sociais.

O professor Robson mostra os bonecos desenhistas, que são produzidos a partir de baterias de cigarros eletrônicos apreendidos pela RFB, e que seriam descartados

TVS BOX QUE VIRAM COMPUTADORES

Depois da palestra, um grupo de participantes, incluindo a reportagem do ATUAL, foi conhecer o laboratório em que equipamentos como as TVs Box, alvo de grandes apreensões da RFB, são transformados em computadores, numa iniciativa denominada Projeto 3Rs, com o nome alusivo às práticas de reciclar, reutilizar e ressignificar. Desenvolvido no ICE, a iniciativa seleciona e capacita estudantes da graduação da própria UFRRJ e de escolas do Ensino Médio da rede pública do entorno da universidade, familiarizando-os com o ensino de tecnologia e robótica. Com isso, o projeto proporciona o acesso à tecnologia a comunidades economicamente desfavorecidas e proporciona um destino sustentável para unidades de TV Box apreendidas pela RFB, e que seriam descartadas. A iniciativa vai permitir a doação de equipamentos já transformados no ICE para instituições como o Museu de Química, o laboratório do Pavilhão de Aulas Teóricas da Pró-Reitoria de Graduação, e Jardim Botânico, além da comunidade quilombola da Ilha da Madeira.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Brinquedos como os bonecos desenhistas oferecem às crianças a oportunidade de se desenvolver através da curiosidade, da concentração e da atenção

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com
/* */