quinta-feira, outubro 21, 2021
InícioItaguaíO entretenimento das lives na quarentena

O entretenimento das lives na quarentena

Na contramão de toda a negatividade do cenário pandêmico atual, no qual as pessoas têm passado pela experiencia de se manterem isoladas socialmente, artistas da região – à exemplo de vários músicos reconhecidos – realizam transmissões ao vivo por suas redes sociais. As lives – que se tornaram extremamente populares durante a quarentena – contam com doses de descontração além de muita música, interpretadas no estilo acústico, ou em alguns casos, com a participação de banda. As transmissões buscam criar um ambiente de tranquilidade, onde os artistas fazem sua contribuição compartilhando seu trabalho artístico.

As transmissões também estão sendo utilizadas na arrecadação de recursos destinados ao próprio artista, além das campanhas de doação, onde as contribuições são enviadas a instituições.

Os artistas
Mazinho
Mús

Na contramão de toda a negatividade do cenário pandêmico atual, no qual as pessoas têm passado pela experiencia de se manterem isoladas socialmente, artistas da região – à exemplo de vários músicos reconhecidos – realizam transmissões ao vivo por suas redes sociais. As lives – que se tornaram extremamente populares durante a quarentena – contam com doses de descontração além de muita música, interpretadas no estilo acústico, ou em alguns casos, com a participação de banda. As transmissões buscam criar um ambiente de tranquilidade, onde os artistas fazem sua contribuição compartilhando seu trabalho artístico.

As transmissões também estão sendo utilizadas na arrecadação de recursos destinados ao próprio artista, além das campanhas de doação, onde as contribuições são enviadas a instituições.

Os artistas

Mazinho

Músico consagrado, reconhecido como um dos melhores violonistas da região, vem interpretando o melhor da MPB e rock nacional e internacional toda segunda-feira desde o início da quarentena.

 

Banda KGB

Composta por Serginho Kapa, no violão, Gilmar Vila Nova, percussão, e Marcelo Bozó, voz, o trio, que surgiu em 1991 em Itaguaí com outro K, o Kiko Viana, tem se apresentado aos sábados com show performático do vocalista, também chamado Claudio Reis. A KGB nos leva ao rock dos anos 80 e 90 com pitadas do melhor da MPB, com nuances de nostalgia para aqueles que já estão em plena forma dos anos “enta”. Bozó, que está em ótima fase artística, por sinal, tem feito suas lives sozinho em outros dias, intercalando, também e inclusive, shows ao vivo com a banda Cafe Sound.

 

Léo de Castro e Umberto Eller

Léo, na viola e voz, e Umberto, a grande voz de Itaguaí, fazem shows esporadicamente, mas trazem consigo a bagagem da banda Xinapp tocando de tudo e mais um pouco. A dupla não economiza no talento e simpatia. Levam, quase, de tudo: MPB, rock nacional, internacional, dos anos 80 aos dias atuais. Muita música na bagagem!

 

Maestro Júlio Queiroga

O maestro tem emprestado seu talento no início das noites de sábado com o melhor da MPB nesse período. Primeiro regente da Escola de Música Chiquinha Gonzaga, nascida sob o nome Escola de Música Y-Tingas, Queiroga descontrai os internautas em suas lives ao som de seu violão e voz. Júlio foi um dos professores fundadores da escola de música, dando aula de violão na época. Foi regente do coral escola comunidade, o primeiro do município envolvendo a comunidade.

 

Kiko Viana

Kiko tem apresentado um repertório singular nesse período. Ou melhor, de forma singular. O artista tem aparecido nesse período cantando música em “doses homeopáticas”, apresentado isoladamente uma canção de cada vez. E disponibilizado nas redes sociais sua canção para amigos e público em geral.

Veja mais de:
Matérias relacionadas
- Advertisment -

Mais lidas

error: O conteúdo está protegido!