Funcionária conta como foi participar de operação histórica no Porto Sudeste

No mês em que é comemorado o Dia Internacional das Mulheres, contar a história das mulheres por trás – ou à frente, neste caso – de grandes acontecimentos é essencial. Mariana Nunes, de 29 anos, foi uma das responsáveis pela operação que marcou história no Porto Sudeste: a chegada do Cape Apollo, embarcação da classe Wozmax, um dos maiores navios graneleiros do mundo, medindo o equivalente a três campos de futebol. 

Mariana Nunes cresceu em Coroa Grande, em Itaguaí, e começou a atuar no setor portuário por acaso, mas acabou se apaixonando pela área. Ao finalizar um curso técnico de segurança no trabalho no CEFET, um coordenador da instituição elogiou sua inteligência e sugeriu que fizesse um técnico de segurança de portos para tentar vagas nos terminais da região. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Eu nunca tinha me visto trabalhando em um porto, uma área tão masculinizada. Mas, quando faltavam seis meses para acabar o curso, consegui uma vaga de estágio em uma das empresas da região”, conta ela. Essa foi a sua primeira experiência com o transporte de cargas e minério de ferro. “No início tive medo, mas hoje está no meu sangue”.


No dia 19 de fevereiro, quando o navio Cape Apollo atracou no Porto Sudeste, Mariana demonstrou todos os seus anos de experiência na condução da operação. Como Programadora do Centro de Controle Operacional – CCO, se certificou de que tudo estava andando conforme o esperado. “Para mim esse dia foi muito importante, porque além de eu ter feito o trabalho, foi praticamente o último navio antes de eu receber uma promoção. Estar no marco do porto com esse navio de grande porte e representando as mulheres foi muito importante para mim”


Hoje, ela acredita que o espaço feminino no setor portuário está crescendo, mas que precisa melhorar.” Ainda é um desafio porque a maioria das vezes são áreas que são mais trabalhadas por homens e muitas pessoas falam ‘Poxa, mas ela é mulher, não vai conseguir avançar’ e no final a gente mostra que consegue fazer qualquer tipo de trabalho”.

Fabiana Durant no IMO

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A comandante Fabiana Durant, gerente de operações de granéis líquidos do Porto Sudeste, recebeu ontem, em cerimônia realizada pela diretoria de Portos e Costas, o certificado de embaixadora marítima da boa vontade no Brasil da Organização Marítima Internacional (IMO). 

A comandante Fabiana Durant, gerente de operações de granéis líquidos do Porto Sudeste, recebeu o certificado de embaixadora marítima da boa vontade no Brasil da Organização Marítima Internacional (Divulgação/Porto Sudeste)

Na função, se torna uma porta-voz das profissões marítimas para inspirar e incentivar as próximas gerações a considerarem carreiras no segmento naval, seja navegando pelos mares ou na indústria portuária. A nomeação da comandante representa um grande passo na busca pela equidade de gênero não só na empresa, como no setor portuário e na sociedade. 


A IMO é a autoridade global que estabelece padrões para a segurança, proteção e desempenho ambiental do transporte marítimo internacional. Com participação de 175 países, sua atuação visa apoiar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU no setor. 

Redação

O Jornal Atual atua desde 2001 nas cidades de Itaguaí, Mangaratiba e Seropédica, bem como em parte da Zona Oeste do município do Rio de Janeiro, abordando o cotidiano da região e prestando serviço à comunidade da qual está inserida.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com
/* */