terça-feira, dezembro 7, 2021
InícioSem categoriaDenúncia de fraude em concurso da Secretaria de Educação de Itaguaí é...

Denúncia de fraude em concurso da Secretaria de Educação de Itaguaí é investigada pelo MP

DENÚNCIA
Mais uma denúncia contra a gestão Charlinho é investigada pelo Ministério Público. O problema agora se relaciona a uma de fraude envolvendo o concurso público para professor, organizado pela Secretaria Municipal de Educação. Segundo o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe), não houve tempo hábil para a realização das inscrições para o cargo de diretor das escolas do município. O edital de convocação para o processo seletivo foi publicado no Diário Oficial do Município no dia 1° de novembro, véspera do feriado e, com isso, os candidatos tiveram apenas dois dias para realizarem as inscrições.

Além do prazo curto, outra irregularidade investigada pelo MP é que 20% das questões da prova foram copiadas de uma prova aplicada em 2010, pela Secretaria de Planejamento da Bahia.

A secretária de Educação, Andr

DENÚNCIA

Mais uma denúncia contra a gestão Charlinho é investigada pelo Ministério Público. O problema agora se relaciona a uma de fraude envolvendo o concurso público para professor, organizado pela Secretaria Municipal de Educação. Segundo o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe), não houve tempo hábil para a realização das inscrições para o cargo de diretor das escolas do município. O edital de convocação para o processo seletivo foi publicado no Diário Oficial do Município no dia 1° de novembro, véspera do feriado e, com isso, os candidatos tiveram apenas dois dias para realizarem as inscrições.

Além do prazo curto, outra irregularidade investigada pelo MP é que 20% das questões da prova foram copiadas de uma prova aplicada em 2010, pela Secretaria de Planejamento da Bahia.

A secretária de Educação, Andrea Busatto, esposa do prefeito Carlo Busatto Júnior, o Charlinho (MDB), foi responsável por contratar a Universidade Brasil para confeccionar a prova. Além do exame, também houve eleições diretas em cada unidade.

Em entrevista à TV Globo, uma professora que preferiu não se identificar relatou outras irregularidades praticadas na realização do exame, como o não recolhimento de celulares no período da prova. Segundo a denunciante, muitos candidatos saíam da sala para ir ao banheiro levando o aparelho. “Se é algo que deveria ser legal, nos trâmites de acordo com o decreto e com a lei, nós como futuros gestores, agindo de acordo com a lei, observamos uma secretaria agindo fora da lei. Isso me preocupa bastante”, disse.

Ao ATUAL, o vereador Wilian Cezar (PSB) se pronunciou sobre o caso e afirmou ter recebido denúncias sobre a aplicação da prova. “Mais uma vergonha para Itaguaí. Recebi queixa de professores que fizeram e prova e eles disseram que a prova não veio lacrada. Isso gera mais dúvida em um processo que era para ser democrático e transparente, mas não vimos nenhuma transparência”, ressaltou o vereador

O MP enviou um ofício para a prefeitura e a prova foi cancelada. O prefeito Charlinho tem até esta sexta-feira (14) para informar se haverá um novo certame.

A prefeitura negou que haja fraude no concurso. Em nota, a Secretária de Educação de Itaguaí informou que até o dia 4 dezembro não recebeu solicitações do Ministério Público quanto a eleição de diretores. Ainda de acordo com a nota, a anulação da prova escrita se deu por decisão da secretaria em conjunto com a Comissão de Execução após a sugestão da Universidade conveniada que elaborou e aplicou a prova, diante da inadequação das questões nela contida.

Veja mais de:
Matérias relacionadas
- Advertisment -

Mais lidas

error: O conteúdo está protegido!