sexta-feira, dezembro 3, 2021
InícioSem categoriaVereadores cobram mais explicações ao prefeito Charlinho

Vereadores cobram mais explicações ao prefeito Charlinho

DESCASOS
As cobranças ao Poder Executivo mais uma vez tomaram conta da sessão da terça-feira (13), na Câmara Municipal de Itaguaí (CMI). A primeira delas partiu do vereador André Amorim (PR), que através de um requerimento de informações dirigido ao prefeito Carlo Busatto Junior, cobrou explicações sobre o Centro de Atenção Psicossocial Infantil (Capsi), que na semana passada transferiu cinco psicólogos para o Hospital Municipal São Francisco Xavier (HMFSX) sem dar nenhuma explicação aos pais dos usuários que fazem tratamento na unidade. Ele também indagou sobre a exoneração da coordenadora do Capsi, após a visita do vereador Ivan Charles ao local. O documento foi aprovado pela CMI.

Outra indicação do vereador André Amorim cobrou, em caráter de urgência, a reabertura do Centro Social Especializado de Assistência Social (CSEAS). N

DESCASOS

As cobranças ao Poder Executivo mais uma vez tomaram conta da sessão da terça-feira (13), na Câmara Municipal de Itaguaí (CMI). A primeira delas partiu do vereador André Amorim (PR), que através de um requerimento de informações dirigido ao prefeito Carlo Busatto Junior, cobrou explicações sobre o Centro de Atenção Psicossocial Infantil (Capsi), que na semana passada transferiu cinco psicólogos para o Hospital Municipal São Francisco Xavier (HMFSX) sem dar nenhuma explicação aos pais dos usuários que fazem tratamento na unidade. Ele também indagou sobre a exoneração da coordenadora do Capsi, após a visita do vereador Ivan Charles ao local. O documento foi aprovado pela CMI.

Outra indicação do vereador André Amorim cobrou, em caráter de urgência, a reabertura do Centro Social Especializado de Assistência Social (CSEAS). Na sua justificativa, o parlamentar disse que na semana passada participou de uma reunião do Conselho Municipal de Assistência Social, em que foi discutida, entre outras coisas, a questão da população em situação de rua no município. “De acordo com cadastro do órgão, atualmente temos 161 pessoas em Itaguaí em situação de rua, e o CSEAS era o centro que oferecia alimentação, banho e dormida a essas pessoas. Porém, foi desativado em março deste ano. A população precisa de atenção, pois há uma política do governo federal e deveria ter a mesma política por parte do governo municipal para esse tipo de situação”, ressaltou André Amorim.

O vereador Willian Cezar (PSB) considerou lamentável a transferência dos profissionais do Capsi, já que, segundo ele, a falta dos psicólogos obriga os pais dos usuários a reagendar consultas de um tratamento que é contínuo. No mesmo tom, o vereador Genildo Gandra (PDT) disse que a atitude do governo municipal de transferir cinco profissionais, deixando as pessoas sem atendimento é uma covardia muito grande. “Isso é feito por pessoas que não têm Deus no coração. Acho que o governo tem muitos locais que possa utilizar para fazer transferências. É muito difícil entender a atitude do governo. O prefeito tem que pensar em ser um gestor para governar para aqueles que mais necessitam. Se não bastasse a transferência dos profissionais do Capsi, segundo informações, ele exonerou a coordenadora. Por que ele tomou essa atitude? Será que ele está colocando a culpa na coordenadora pelo movimento de mães realizado na semana passada? Esse requerimento de informação é muito importante para termos conhecimento do que está acontecendo sobre o assunto”, declarou.

Coleta de lixo também sob observação

Já o vereador Ivan Charles (PSB) comemorou a aprovação da sua indicação, que solicita ao Poder Executivo a regularização na coleta de lixo no município. Ele lembrou o caos que o município viveu na semana passada por conta do não recolhimento do lixo. “Por quase duas semanas o lixo acumulou em toda a cidade. A gente quase não vê caminhões de lixo circulando no município. Gostaria até que o líder de governo informasse quantos caminhões de lixo estão no contrato para fazer a coleta na cidade? Porque não está dando conta? No bairro Monte Serrat o lixo ficou acumulado por quase duas semanas. Essas reclamações ocorreram em todos os bairros, inclusive no centro. A população não pode passar por essa situação”, desabafou, relatando que no bairro do Engenho, um morador estava usando o próprio veículo para fazer a coleta do lixo da rua. “Isso é uma vergonha para uma cidade com cerca de 130 mil habitantes passar por um constrangimento desses”, finalizou.

O vereador Sandro da Hermínio (PT do B) disse que fez contato com o responsável pela empresa que faz a coleta de lixo da cidade, de quem obteve a informação de que da frota de oitos caminhões de lixo que servem à cidade dois quebraram, ocasionando o atraso na coleta. Segundo Hermínio, houve, no entanto, a promessa de que o problema seria resolvido ainda esta semana.

Para o vereador André Amorim, a justificativa da empresa não é satisfatória. “Se houve quebra de veículos, o contrato tem de prever a substituição. Ou ele não está cumprindo o contrato ou esse contrato foi mal feito”, completou Amorim, ressaltando que também vai participar de uma reunião marcada para esta quarta-feira, com o representante da empresa, como informou o vereador Sandro da Hermínio.

Vereador Ivan Charles cobrou explicações sobre regularização na coleta de lixo no município
Fotos Welington Campos

WELINGTON CAMPOS

welington.campos@jornalatual.com.br

Veja mais de:
Matérias relacionadas
- Advertisment -

Mais lidas

error: O conteúdo está protegido!