quinta-feira, outubro 21, 2021
InícioSem categoriaMais cobranças à gestão do prefeito Charlinho

Mais cobranças à gestão do prefeito Charlinho

Vereadores voltam a criticar a administração do atual chefe do Poder Executivo, que completou dois anos e meio na inércia As críticas à gestão do prefeito Carlo Busatto Júnior, o Charlinho, ecoaram mais uma vez durante a sessão da Câmara Municipal de Itaguaí (CMI), na noite da terça-feira (8). O descaso em setores como saúde, educação, segurança pública, além da falta de transparência motivaram mais explanações dos vereadores da oposição. O primeiro a disparar contra a administração Charlinho foi o vereador Willian Cezar, que destacou a falta do transporte marítimo escolar para alunos das praias da Quatiquara, do Boi e da Ilha dos Martins, que estudam na Escola Municipal Elmo Batista Coelho, na Ilha da Madeira.  O parlamentar disse que o problema mostrado em reportagem no RJTV já era cobrado na CMI. “Com esse tempo chuvos

Vereadores voltam a criticar a administração do atual chefe do Poder Executivo, que completou dois anos e meio na inércia

As críticas à gestão do prefeito Carlo Busatto Júnior, o Charlinho, ecoaram mais uma vez durante a sessão da Câmara Municipal de Itaguaí (CMI), na noite da terça-feira (8). O descaso em setores como saúde, educação, segurança pública, além da falta de transparência motivaram mais explanações dos vereadores da oposição. O primeiro a disparar contra a administração Charlinho foi o vereador Willian Cezar, que destacou a falta do transporte marítimo escolar para alunos das praias da Quatiquara, do Boi e da Ilha dos Martins, que estudam na Escola Municipal Elmo Batista Coelho, na Ilha da Madeira.  O parlamentar disse que o problema mostrado em reportagem no RJTV já era cobrado na CMI. “Com esse tempo chuvoso os alunos chegam à escola totalmente molhados, já que a embarcação empregada no transporte não é apropriada.  É assim que se faz educação de excelência? Até quando essas crianças vão passar por isso? Escutei durante a semana que passou que o prefeito vai começar a trabalhar no ano da eleição, mas o papel do governo é fazer durante os quatro anos de mandato e, não, só no ano de eleição”, disse.

Segundo o presidente da CMI, Rubem Vieira, a licitação feita se referia a uma embarcação apropriada, mas o serviço está sendo atendido por outra de menor porte.  “Acho que temos que cobrar para saber o que está acontecendo. A lancha que faz o transporte desses alunos não é apropriada, pois molha os alunos. Foi licitada uma coisa e está sendo paga para outra; isso temos que apurar. Vamos solicitar o contrato à secretaria  responsável pela licitação, para termos uma ideia do que está acontecendo”, anunciou.

O vereador Genildo Gandra usou a tribuna para se reportar à notícia de que mais uma escola da rede municipal de ensino da Gleba B, em Chaperó, sofreu ato de vandalismo no último fim de semana. “Invadiram, arrombaram a porta da cozinha e mexeram nos mantimentos, mas não levaram nada. Só foi mesmo o ato de vandalismo. Infelizmente isso ocorre porque não temos nas nossas escolas os guardas patrimoniais. Infelizmente o prefeito prefere manter um número exagerado de comissionados na prefeitura, sem muito o que fazer, e deixa o nosso patrimônio ser destruído dessa forma. É difícil entender que existe um governo que sempre deixa de lado as coisas que mais prejuízo causam à cidade. A gente sabe que por todo esse prejuízo quem acaba pagando é a população”, ressaltou o vereador, apelando para que o governo tome uma atitude e contrate guardas patrimoniais.

Quadra abandonada também motivou críticas

O vereador Ivan Charles disse que foi procurado por lideranças do bairro do Engenho, que denunciaram o abandono da quadra poliesportiva localizada próximo à Rua 40, no final da Avenida Itaguaí. O parlamentar informou que esteve na manhã desta terça-feira na quadra e constatou o total abandono da única área de lazer da comunidade. “A quadra não é mais utilizada pelas crianças, e, sim, por meliantes e usuários de drogas. O espaço esportivo está totalmente depredado. O poste em frente à quadra poliesportiva  está caído, com fios de alta-tensão expostos, alambrado deteriorado e destruído por vândalos. A Secretaria de Esportes e Lazer, com 84 funcionários nomeados, não poderia disponibilizar dois funcionários para que a quadra volte a ser frequentada  pelas crianças e os adolescentes? A gente torce para que a secretária dê uma atenção às quadras do município. Vou fazer um relatório e encaminhar ao Ministério Público. Alguém tem que tomar uma providência com relação a isso”, destacou Ivan Charles.

A equipe de reportagem doAtualesteve na manhã de quinta-feira (10) na quadra do Engenho e constatou o total abandono do espaço esportivo. Uma moradora, que preferiu não se identificar, criticou o estado de abandono do lugar. Ela contou que o local está servindo de abrigo para usuários de drogas e meliantes. Segundo ela, quando chega a noite ninguém passa perto dali com medo de ser assaltado. “Esses dias um caminhão de refrigerante foi assaltado. A gente tem medo de ser agarrada por um desses usuários de drogas e ser violentada. A prefeitura abandonou essa quadra, que deveria ter atividades para as crianças. Na verdade, o dinheiro gasto nesse elefante branco poderia ser bem empregado se fosse feita uma praça”, sugeriu a moradora.

FOTO WELINGTON CAMPOS
O PORTÃO da quadra poliesportiva do Engenho arrombado mostra o abandono por parte do Poder Público
Veja mais de:
Matérias relacionadas
- Advertisment -

Mais lidas

error: O conteúdo está protegido!