quarta-feira, outubro 27, 2021
InícioSem categoriaIncêndios na mata: mazelas que se repetem em Itaguaí

Incêndios na mata: mazelas que se repetem em Itaguaí

Dentre as mazelas que fazem a credibilidade internacional do Brasil ser seguidas vezes rebaixada estão as queimadas que vêm, ao longo dos anos, devastando florestas país afora, numa situação que se constitui um verdadeiro escândalo ambiental. As cenas muitas vezes mostradas pela televisão em regiões como a Centro Oeste e a Norte, contudo, não são uma realidade distante de Itaguaí, onde são frequentes os incêndios em porções da mata que recobrem parte significativa do território da cidade, com visíveis ameaças aos ecossistemas locais.

Densas colunas de fumaça comumente surgem de trechos das extensas áreas que se estendem a partir do Parque Municipal e seguem em direção a retroárea de Itaguaí. O fato provoca indignação em muitas pessoas, que usam a redes sociais para protestar, reproduzindo fotos ou vídeos que denunciam as agressõe

Dentre as mazelas que fazem a credibilidade internacional do Brasil ser seguidas vezes rebaixada estão as queimadas que vêm, ao longo dos anos, devastando florestas país afora, numa situação que se constitui um verdadeiro escândalo ambiental. As cenas muitas vezes mostradas pela televisão em regiões como a Centro Oeste e a Norte, contudo, não são uma realidade distante de Itaguaí, onde são frequentes os incêndios em porções da mata que recobrem parte significativa do território da cidade, com visíveis ameaças aos ecossistemas locais.

Densas colunas de fumaça comumente surgem de trechos das extensas áreas que se estendem a partir do Parque Municipal e seguem em direção a retroárea de Itaguaí. O fato provoca indignação em muitas pessoas, que usam a redes sociais para protestar, reproduzindo fotos ou vídeos que denunciam as agressões à natureza, sem que as autoridades municipais se sensibilizem para reunir órgãos estadual e nacional de proteção ambiental com o propósito de criar as condições de identificar, responsabilizar e punir quem insiste em burlar a lei incendiando o verde.

Há entre os internautas que se ocupam de comentar sobre as queimadas nas redes sociais aqueles que sugerem o patrulhamento com drones na retroárea assim que iniciar os primeiros focos de incêndio, na tentativa de identificar quem coloca o fogo, e posteriormente, quem manda colocar. A tarefa não é nada difícil, pois há denúncias de que o fogo está sendo quase que diário.

Mas há também quem sugira atuação e medidas preventivas dos órgãos de fiscalização ambiental visando multar eventuais poluidores do ar. “Existe alguma investigação para saber se os incêndios em Itaguaí são intencionais?”, questiona outro preocupado com o fogo. Enquanto a pergunta não tem resposta quem paga é o povo, incluindo crianças e idosos com problemas respiratórios como asma, alergias e bronquites, principalmente nessa época de baixa umidade, baixa temperatura e covid-19. Isso significa dizer que alergia na população é mais um sinal de aumento das despesas com saúde no orçamento de cada cidadão. Aumento do custo na saúde pública.

Um permanente risco à saúde da população
Os frequentes incêndios na retroárea de Itaguaí são uma ameaça constante à saúde da população que vive ou circula pelo município. Mas eles não estão sozinhos na nociva missão de atentar contra a integridade física dos sistemas respiratórios locais. A poluição do ar vem também de indústrias locais, de outras de fora, das minúsculas partículas de minério que se desprendem dos carregamentos de trens e até mesmo da Central de Tratamento de Resíduos Santa Rosa, que mesmo em território de Seropédica, lança no ar uma atmosfera fétida, que avança sem dó nem piedade sobre as glebas A e B, em Chaperó.

Num ar tão contaminado como esse não é por acaso que a cidade registra vários casos de problemas decorrentes das alergias. Também não foi mera coincidência o fato de Itaguaí ter recebido, há cerca de um ano, uma unidade do Projeto Brasil Sem Alergia, empresa com fins de inclusão que oferece atendimentos gratuitos nas áreas de espirometria (exame de pulmão), testes alérgicos, orientação clínica, além de aplicação de vacinas contra alergia a um baixo custo.

DE LONGE é possível enxergar o que as autoridades ambientais locais insistem em tolerar (FOTO DO LEITOR)

Projeto em Itaguaí oferece exames grátis
Idealizador do Brasil Sem Alergia, o médico imunologista Marcelo Bossois explicou ao Atual que cerca de 30% da população em geral sofre com algum tipo de alergia, principalmente dermatológica ou respiratória. Ainda segundo ele, nos grandes centros urbanos a situação é ainda mais grave, com uma a cada duas pessoas precisando de algum tipo de tratamento do gênero. Na clínica de Itaguaí, localizada na Rua Antônio Morais de Menezes, 133, no Centro, os atendimentos são realizados às terças e sextas-feiras o dia inteiro. O agendamento só pode ser feito pelo telefone 4063-8720 ou pelo endereço eletrônico www.brasilsemalergia.online.

Veja mais de:
Matérias relacionadas
- Advertisment -

Mais lidas

error: O conteúdo está protegido!