terça-feira, dezembro 7, 2021
InícioItaguaíEmbrapa e Sebrae desenvolverão projeto que beneficia os pequenos negócios rurais

Embrapa e Sebrae desenvolverão projeto que beneficia os pequenos negócios rurais

PRODUÇÃO
O projeto Agroecologia e produção orgânica – conhecimentos e tecnologias para sistemas produtivos mais sustentáveis é vinculado à Embrapa Agrobiologia, localizada em Seropédica. Ele foi um dos aprovados para integrar o convênio de cooperação técnica e financeira entre a Embrapa, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e a Fundação Eliseu Alves. A parceria entre as instituições aprovou, neste ano, quatro projetos, que discutem estratégias de atuação integrada para a cadeia de alimentos e bebidas. “Um dos pontos inovadores do projeto é a preocupação com o fato de que é necessário tornar acessíveis para o agricultor de pequenos negócios rurais os conhecimentos e tecnologias em agroecologia e produção orgânica”. Afirma o coordenador do projeto, pesquisador Ednaldo da Silva Araújo. Ele ci

PRODUÇÃO

O projeto Agroecologia e produção orgânica – conhecimentos e tecnologias para sistemas produtivos mais sustentáveis é vinculado à Embrapa Agrobiologia, localizada em Seropédica. Ele foi um dos aprovados para integrar o convênio de cooperação técnica e financeira entre a Embrapa, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e a Fundação Eliseu Alves. A parceria entre as instituições aprovou, neste ano, quatro projetos, que discutem estratégias de atuação integrada para a cadeia de alimentos e bebidas. “Um dos pontos inovadores do projeto é a preocupação com o fato de que é necessário tornar acessíveis para o agricultor de pequenos negócios rurais os conhecimentos e tecnologias em agroecologia e produção orgânica”. Afirma o coordenador do projeto, pesquisador Ednaldo da Silva Araújo. Ele citou como exemplos o uso de vídeos e a realização de palestras e oficinas nas comunidades rurais, de forma a aproximar a pesquisa dos pequenos produtores.

O trabalho será desenvolvido nos estados de Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Sergipe e no Distrito Federal. No Rio, os pesquisadores vão prospectar resíduos da agroindústria para a criação de um banco de dados. A ideia é fazer uma avaliação química e biológica destes materiais e caracterizar cada resíduo quanto ao teor de nutrientes que podem ser benéficos para as lavouras. Estas informações também vão possibilitar novos estudos para a produção de fertilizantes que terão como base esses resíduos agroindustriais.

Com a conclusão do projeto, em 2020, espera-se a capacitação de 1.720 técnicos e produtores em aspectos relacionados à agroecologia e à produção orgânica, o que será feito por meio de cursos, reuniões técnicas, dias de campo, oficinas, entre outros eventos.

A intenção, de um modo geral, é contribuir para o aumento da adoção de conhecimentos e tecnologias preconizadas pelos sistemas agroecológicos e orgânicos, com foco na inovação, na ampliação de mercado e no fortalecimento dos pequenos negócios nos locais envolvidos, visa ainda à obtenção de sistemas produtivos mais sustentáveis, com destaque à produção de alimentos orgânicos.

Um dos motivos que levou as empresas que apoiam o projeto a escolherem os locais onde será desenvolvido o trabalho, em boa parte se deu pelo fato de nesses locais haver unidades tanto da Embrapa como do Sebrae. Mas não é só isso. Todos os estados selecionados já possuem alguma ligação forte com os sistemas de produção agroecológica (Com informações da Embrapa Agrobiologia).

Veja mais de:
Matérias relacionadas
- Advertisment -

Mais lidas

error: O conteúdo está protegido!