quinta-feira, outubro 21, 2021
InícioItaguaíDocas promete para 2022 sistema de tráfego aquaviário

Docas promete para 2022 sistema de tráfego aquaviário

Projeto foi tema do 14º webinar do Congresso Internacional de Desempenho Portuário

A Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ) divulgou na sexta-feira (24) que irá concluir, até março de 2022, a implantação da primeira fase de um sistema para monitoramento do tráfego aquaviário. Chamado de Local Port Service (LPS), o projeto é parte da implantação do VTMIS (sigla inglesa para Sistema de Gerenciamento e Informação do Tráfego de Embarcações) e foi tema do 14º webinar do Congresso Internacional de Desempenho Portuário (Cidesport). O evento Cidesport Entrevista, que tem por objetivo disseminar conhecimentos sobre o setor portuário, contou com a presença de Marcelo Villas-Bôas – gestor da Docas do Rio que conduz a implantação do VTMIs nos portos do Rio de Janeiro/Niterói e de Itaguaí. Ele explicou que o projeto está na primeira etapa e tem como prazo de conclusão o primeiro trimestre de 202

Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ) divulgou na sexta-feira (24) que irá concluir, até março de 2022, a implantação da primeira fase de um sistema para monitoramento do tráfego aquaviário. Chamado de Local Port Service (LPS), o projeto é parte da implantação do VTMIS (sigla inglesa para Sistema de Gerenciamento e Informação do Tráfego de Embarcações) e foi tema do 14º webinar do Congresso Internacional de Desempenho Portuário (Cidesport).

O evento Cidesport Entrevista, que tem por objetivo disseminar conhecimentos sobre o setor portuário, contou com a presença de Marcelo Villas-Bôas – gestor da Docas do Rio que conduz a implantação do VTMIs nos portos do Rio de Janeiro/Niterói e de Itaguaí. Ele explicou que o projeto está na primeira etapa e tem como prazo de conclusão o primeiro trimestre de 2022.

O VTMIS é um auxílio eletrônico à navegação, com capacidade de monitoramento do tráfego aquaviário, e amplia a segurança da navegação e a proteção ao meio ambiente por meio da identificação, da monitoração e do planejamento da movimentação das embarcações. O sistema também realiza a divulgação de informações e assistência ao navegante, o que contribui para o aumento da eficiência do tráfego marítimo, com reflexo direto nas atividades operacionais dos portos, além do cumprimento de padrões marítimos internacionais. 

FATURAMENTO CENTRALIZADO

Também na sexta (24), a Companhia das Docas do Rio informou que houve melhoria significativa em sua eficiência, após a centralização financeira iniciada em setembro de 2020. A gestão do faturamento dos portos, agora sob responsabilidade da Supervisão de Faturamento (Sufatu), subordinada à Gerência de Gestão Financeira (Gerfin), conta com a parceria das unidades portuárias, responsáveis pelo preparo e envio dos dados necessários ao processo de faturamento.   

Também houve integração sistêmica das informações com as áreas de cobrança, controladoria e contabilidade, o que confere maior credibilidade e segurança no tratamento das informações, controle dos dados gerados e agilidade no fornecimento de relatórios para tomada de decisões pela Administração.

De acordo com a CDRJ, a integração sistêmica dos quatro portos foi de suma importância para a efetividade na gestão das “Contas a Receber”. Além disso, com a centralização do faturamento, reduziram-se as inadimplências e melhoraram as condições para levantamentos e renegociações de dívidas antigas, tocadas pela área financeira desde o início da integração.

Veja mais de:
Matérias relacionadas
- Advertisment -

Mais lidas

error: O conteúdo está protegido!