segunda-feira, agosto 8, 2022
InícioDestaqueJacarés atacam cães na área da Expo e representam perigo também para...

Jacarés atacam cães na área da Expo e representam perigo também para pessoas, alerta entidade de proteção aos animais

Prefeitura promete sinalizar local, mas não menciona outras medidas de segurança para evitar novos ataques

“Ontem, o Francisco faleceu. Não é o primeiro cachorro que morre assim!”. Esse é o lamento de Renata França da Silva, uma das integrantes do projeto Help Animais, ao se referir a um dos vários cães abandonados na área do Parque Municipal de Exposição da cidade de Itaguaí. O que chama a atenção nesse caso é que Francisco não foi morto por atropelamento ou maus tratos, ou mesmo uma doença. Apesar de ser um cão de rua, ele recebia tratamento do pessoal do projeto e era até conhecido pelo nome. Francisco morreu devido ao ataque de um jacaré em uma das áreas mais movimentadas do município, na quinta-feira (27).

Sim, o Canal do Viana, onde Francisco morreu, fica na área da Expo e abriga jacarés (é natural supor que ali não há apenas um desses répteis).

“Se os jacarés estão no habitat natural, a prefeitura deve garantir segurança. Que não tirem os animais dali, mas coloquem placas de aviso, cercas para animais e crianças não irem para o rio, para uma bola não cair lá e uma criança ir buscar e perder a vida. Eles têm que fazer isso, para não acontecer o pior. Porque hoje foram nossos cachorros e a gente tem muita dor no coração, mas amanhã pode ser o filho de alguém”, alerta Renata.

SOLICITAÇÕES

As protetoras de animais reconhecem que a culpa não é dos jacarés e, por isso, cobram com insistência uma atitude do poder público municipal. Ana Lucia Vasconcelos Lopes, fundadora do Help Animais (projeto que cuida dos animais de rua) diz que fez até solicitação ao governo do Estado do Rio de Janeiro: “Queremos uma cerca de contenção, um aviso sinalizando perigo, porque ali tem pedestres, crianças, pessoas que vão ali para namorar. Já vi criança brincando de bola, a bola cai no canal e a criança vai lá buscar. Eu tenho uma sindicância aberta no Estado para que eles cobrem uma atitude do governo municipal”.

OFÍCIO

Após a solicitação de Ana Lucia, a Prefeitura de Itaguaí, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, enviou a seguinte resposta à Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, com data de 19 de novembro de 2021. Segue o texto do ofício na íntegra:

“…Em resposta ao ofício GDAF Nº 336/2021 venho por meio desta responder os questionamentos feitos.

Informo que o processo para viabilização da sinalização já está sendo providenciado. Contudo, por se tratar da necessidade do recurso público encontro-me hoje impossibilitada de estipular um prazo para a conclusão dessa medida.

Quanto aos demais questionamentos suscitados, vale ressaltar que os jacarés se encontram em seu habitat natural e os cachorros relatados são trazidos por populares para serem alimentados próximo ao local, relação a isso destaco que já havia sido iniciado o processo de estudo para a praticabilidade de parceria com instituições que possam nos auxiliar no recolhimento e cuidado dos animais em situação de abandono.

Sem mais para o momento, aproveito para renovar protestos de estima e elevada consideração.

Atenciosamente…”.

Quem assina o ofício Nº 242/2021 é Shayene Figueiredo Barreto, secretária de Meio Ambiente e Planejamento de Itaguaí.

O ATUAL fez questionamentos à Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Itaguaí sobre o assunto. Em relação aos cães abandonados na Área da Expo, não houve qualquer resposta até a publicação dessa matéria.

Ofício da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Planejamento enviado à Alerj após questionamentos feitos por protetoras

Quanto ao perigo que os jacarés oferecem no local, o governo municipal enviou a seguinte nota ao ATUAL: “Sobre a presença de jacarés nas margens do Canal do Viana, na área da Expo, a Prefeitura de Itaguaí informa que já está providenciando a sinalização com placas para alertar a população da presença desses animais no local. As placas, que serão instaladas na próxima semana, visam não só a seguranças das pessoas, como também dos próprios répteis que estão em seu habitat natural. Dentre algumas orientações que constará nos avisos, estão: que se deve ter atenção ao circular na área; não abandonar animais na área e que as pessoas não entrem no rio”.

A julgar pelo teor da nota, não ocorreu aos técnicos da prefeitura afixar a seguinte placa: “Cuidado, perigo de morte: jacaré no rio”.

Como se pode notar, não há qualquer referência à colocação de uma cerca para impedir que cães, pessoas e jacarés tenham contato em circunstâncias potencialmente fatais.

Ana Paula, fundadora do Help Animais, com Francisco, o cão morto por jacarés na Área da Expo na quinta-feira (27) (Divulgação Help Animais)

“Já perdemos seis cães ali. O último foi ontem (dia 27 de janeiro). Uma hora, uma criança pode cair ali e não vai ser nada bom”, lamenta Ana Paula.

NOTA DO EDITOR = Esta matéria foi corrigida às 00h45 de segunda-feira (31), porque havia a foto e informação de que um cão havia sido vítima de um ataque de jacaré, mas na verdade foi um outro tipo de ataque não confirmado. Tanto a foto quanto a informação foram suprimidas e pedimos desculpas pelo equívoco. As demais informações estão mantidas.

Veja mais de:
Matérias relacionadas

Mais lidas

error: O conteúdo está protegido!