quinta-feira, outubro 21, 2021
InícioPoderAprovado parecer prévio da Comissão Processante contra o prefeito Charlinho

Aprovado parecer prévio da Comissão Processante contra o prefeito Charlinho

Após empate em votação nominal, documento favorável à continuidade do processo que pode afastar o prefeito de Itaguaí foi aprovado com o voto de minerva do presidente da Câmara Municipal de Itaguaí A Câmara Municipal de Itaguaí (CMI) aprovou o parecer prévio da Comissão Especial Processante (CEP) que apura a ausências de repasse de contribuição previdenciária patronal do prefeito Carlo Busatto Júnior, o Charlinho (MDB), para o Itaguaí Previdência (Itaprevi). A votação foi decisiva para a continuidade do processo que pode culminar com a cassação do chefe do Poder Executivo. Após a leitura do parecer prévio, feita pelo relator da CEP, vereador Vinícius Alves, que pediu pelo prosseguimento do rito que poderá cassar o mandato do prefeito Charlinho, alguns vereadores da oposição discursaram a favor do relator, enquanto os parlam

Após empate em votação nominal, documento favorável à continuidade do processo que pode afastar o prefeito de Itaguaí foi aprovado com o voto de minerva do presidente da Câmara Municipal de Itaguaí

A Câmara Municipal de Itaguaí (CMI) aprovou o parecer prévio da Comissão Especial Processante (CEP) que apura a ausências de repasse de contribuição previdenciária patronal do prefeito Carlo Busatto Júnior, o Charlinho (MDB), para o Itaguaí Previdência (Itaprevi). A votação foi decisiva para a continuidade do processo que pode culminar com a cassação do chefe do Poder Executivo.

Após a leitura do parecer prévio, feita pelo relator da CEP, vereador Vinícius Alves, que pediu pelo prosseguimento do rito que poderá cassar o mandato do prefeito Charlinho, alguns vereadores da oposição discursaram a favor do relator, enquanto os parlamentares da base governista pediam o arquivamento da CEP. Depois de toda a discussão entre oposição e situação, o presidente da CMI, vereador Rubem Vieira, colocou o documento em votação, que ocorreu nominalmente. A votação terminou com empate em oito votos e foi decidida com o voto de minerva do presidente Rubem Vieira. A decisão de prosseguir com a CEP foi comemorada pelo público que compareceu a sessão.

Votaram a favor do prosseguimento da CEP, acompanhando o relator, os vereadores André Amorim, Carlos Zóia, Ivan Charles, Genildo Gandra, Gil Torres, Willian Cezar, Vinícius Alves e Waldemar Ávila. Votaram contra o parecer prévio, os vereadores Sandro da Hermínio, Haroldo de Jesus, Carlos Kifer, Roberto Lúcio Espolador Guimarães, Júnior do Sítio, Noel Pedrosa, Minouro Fukamate e Reinaldo do Frigorífico. 

Após a decisão, o presidente Rubem Vieira determinou que o processo fosse entregue ao presidente da CEP, vereador Willian Cezar, para a continuidade do rito que poderá afastar o prefeito Carlo Busatto Junior.  Em seguida o presidente encerrou a sessão.

Requerimento de informação e indicação para normalização da coleta de lixo são aprovados

Mais um requerimento de informação cobrando explicações ao prefeito Charlinho e cobranças sobre a irregularidade na coleta de lixo no município, foram os destaques da sessão da última terça-feira (30). Como vem sendo de praxe em cada sessão, já que nesses de dois anos e cinco meses o prefeito Charlinho ainda não fez nada de relevante para o município, mais um requerimento de informação foi aprovado, mais uma vez com o voto de minerva do presidente CMI, vereador Rubem Vieira, após o empate em oito votos.

O requerimento aprovado, de autoria do vereador André Amorim , cobra do prefeito informações sobre imóveis alugados pela Prefeitura de Itaguaí.  Segundo Amorim, após um levantamento extraoficial chegou-se à constatação de que a prefeitura deve alguns milhões de reais em aluguéis de imóveis. “São imóveis de  pessoas que alugam para a prefeitura, mas, segundo informações que obtive, não estão recebendo”, explicou o André Amorim. 

A falta da coleta de lixo no município também foi motivo de debate durante a sessão. Após a aprovação da indicação do vereador Ivan Charles (PSB), que solicita ao chefe do Poder Executivo a regularização da coleta de lixo em todo o município, alguns vereadores falaram do descaso com o serviço. O autor da indicação ressaltou o fato de uma moradora, indignada e com razão, ter jogado o seu lixo doméstico na porta da CMI. “A cidade está que é lixo puro. Por onde a gente passa é lixo por todos os lados. São oito caminhões para fazer a coleta de lixo, mas não da vazão. São dois anos e cinco meses, qual é a desculpa? A população está indignada”, cobrou.   

O vereador Vinícius Alves (PRB) disse que o bairro do Engenho parece um lixão a céu aberto. “O caminhão de lixo não tem dia nem hora para fazer a coleta. Não adianta ficar gravando vídeo com declaração, tem que trabalhar. Vai fazer vídeo no inferno!”, desabafou.

O presidente Rubem Vieira também comentou sobre a indignação da moradora que colocou o lixo em frente à CMI. Ele disse que a população deveria fazer o mesmo. “O meu sonho é que a população jogue o lixo na câmara e na prefeitura. Talvez a situação fizesse com que o problema com a coleta de lixo fosse resolvido com mais eficiência, pois assim a grande mídia iria demonstrar o absurdo que se vive com a falta da coleta de lixo”, declarou.

Rubem lembrou que uma nota recente divulgada pela prefeitura sobre a questão informou que o valor pago para o serviço de coleta de lixo do município de Itaguaí era baixo. “Na nota a prefeitura se orgulha de ter o lixo mais barato do estado do Rio de Janeiro, ou região. Mas não adianta ser barato se não funciona. Ter lixo barato é mole de dizer, agora quero ver funcionar”, cobrou o chefe do Poder Legislativo.

De acordo com o vereador André Amorim, a prefeitura deve à empresa responsável pela coleta de lixo cerca de R$ 1.095.359,25 e mais uma nota fiscal vencida no dia 30 de abril. “Por isso, a empresa está com os salários dos seus funcionários atrasados”, ressaltou o vereador

Veja mais de:
Matérias relacionadas
- Advertisment -

Mais lidas

error: O conteúdo está protegido!