quarta-feira, outubro 27, 2021
InícioSem categoriaServidores da UFRRJ produzem álcool 70º e máscaras para distribuição gratuita

Servidores da UFRRJ produzem álcool 70º e máscaras para distribuição gratuita

Professores, técnicos e alunos da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – UFRRJ arregaçaram as mangas, literalmente, e, voluntariamente, partiram para ação no combate ao avanço do coronavírus usando a principal arma que eles têm: o conhecimento, e estão produzindo na própria universidade álcool 70º e máscaras descartáveis para distribuição gratuita, inicialmente, à comunidade acadêmica e, em seguida, estendendo a distribuição do álcool em redes de saúde municipais e entidades públicas, além de asilos. Os voluntários, que na sua maioria tem formação em química, de diferentes institutos acadêmicos da Rural, começaram a agir assim que a Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária liberou a produção do álcool e desinfetantes destinados a antissepsia e sanitização sem autorização prévia para atender a socie

Professores, técnicos e alunos da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – UFRRJ arregaçaram as mangas, literalmente, e, voluntariamente, partiram para ação no combate ao avanço do coronavírus usando a principal arma que eles têm: o conhecimento, e estão produzindo na própria universidade álcool 70º e máscaras descartáveis para distribuição gratuita, inicialmente, à comunidade acadêmica e, em seguida, estendendo a distribuição do álcool em redes de saúde municipais e entidades públicas, além de asilos. Os voluntários, que na sua maioria tem formação em química, de diferentes institutos acadêmicos da Rural, começaram a agir assim que a Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária liberou a produção do álcool e desinfetantes destinados a antissepsia e sanitização sem autorização prévia para atender a sociedade como item de proteção ao avanço do coronavírus. Três dias após a liberação da Anvisa, numa segunda-feira, dia 23 de março, estava formado o grupo de voluntários intitulados “70 Rural”.

 

ÁLCOOL 70º ACESSÍVEL

Inicialmente, reuniram uma quantidade de 80 litros de álcool 92,8º INPM disponíveis nos departamentos e almoxarifados que são usados para pesquisa e aulas práticas e diluíram a 70º INPM para distribuírem, primeiramente ao público interno, como alunos que permaneceram nos alojamentos e servidores que continuaram a trabalhar, entre guardas, vigilantes, dos setores financeiros e de compras e setores com animais.

Com o resultado positivo dessa ação, os próprios servidores contribuíram com mais insumos e, com isso, passaram a atender com oferta de álcool 70º aos asilos do município de Seropédica. Vieram mais doações que possibilitaram abastecer todas as redes de Saúde dos municípios de Seropédica e Itaguaí e parte da rede hospitalar de Queimados, Berford Roxo, São João de Meriti, Nilópolis e parte de Nova Iguaçu (Hospital da Posse e em alguns postos de saúde), além do Instituto Fernandes Figueira, Hospital Miguel Couto, Corpo de Bombeiros de Seropédica, Nova Iguaçu e Paracambi e Correios de Seropédica. Em um mês já conseguiram entregar 4.750,7 litros de álcool 70º, sendo que deste, 742,5 litros na comunidade acadêmica da UFFRJ..

A BR Distribuidora doou três mil litros de etanol para o grupo 70 Rural, que transformou o produto em sanitizante, para limpezas de superfície, uma vez que era impróprio para antissepsia por conter resíduos de hidrocarboneto e metanol.  Desses, mil litros, foram repassados para a CUFA – Central Única das Favelas, que vai pulverizar o sanitizante em comunidades carentes do município do Rio de Janeiro, e outro tanto para à secretaria do Estado de Administração Penitenciária.

O ÁLCOOL 70º atende a diversas redes de saúde municipais da Região Metropolitana do Rio de Janeiro

 

MÁSCARAS DESCARTÁVEIS

Com a projeção do projeto de produção do álcool, veio a proposta de produção de máscaras descartáveis para proteção à comunidade acadêmica pela Unidade de Produção de Artigos Têxteis – UPAT, ligada ao departamento de Economia Doméstica e Hotelaria – DEDH.

Neste projeto estão envolvidos, também voluntariamente, os professores da UPAT, técnicos e alunos do DEDH, além de costureiras que passaram a produzir em máquinas domésticas máscaras descartáveis em TNT, seguindo as normas de segurança da Anvisa, que estabeleceu requisitos para a fabricação de dispositivos médicos relacionados ao coronavírus.

Ao todo foram produzidas 500 máscaras até meado de abril e a Divisão de Saúde (Postinho) da Rural foi o primeiro setor a receber o equipamento de proteção individual, que também foi disponibilizado aos alunos e servidores que permanecem trabalhando na universidade nesse período de quarentena.

ALÉM DE professores e alunos, comunidade também participar da ação

FAPUR RECEBE DOAÇÃO

A Universidade Rural estabeleceu um convênio com a FAPUR – Fundação de Apoio a Pesquisa Científica e Tecnológica da UFRRJ, seu “braço” de apoio, inclusive, com a comunidade, que permitiu a criação de um fundo emergencial, chamado Fundo de Atenção à Covid-19, para captar recursos financeiros de pessoas físicas e jurídicas para aquisição de insumos destinados a fabricação e álcool 70º e máscaras, bem como para a promoção de ações destinadas à prevenção de disseminação do Covid-19.

A doação é feita através de depósito identificado em conta corrente da FAPUR no Banco do Brasil (ver http://www.fapur.org.br/alcool70/).

A coordenadora do grupo 70 Rural é a professora de físico-química Clarissa Oliveira da Silva, também vice-presidente da FAPUR e gestora do fundo. Clarissa disse à reportagem do Jornal Atual que nesta semana (entre 20 e 24) o saldo das doações chegou a pouco mais de R$ 2.500,00 e que tem no estoque pouco mais de 500 litros de álcool 70º para distribuir. Para se ter uma ideia, somente as redes de Saúde de Seropédica e Itaguaí consomem semanalmente 265 e 340 litros, cada respectivamente.

O grupo 70 Rural vem recebendo doações, além de recursos de projetos de professores, luvas e embalagens de pessoas físicas e pequenas empresas, bem como da Agribio, empresa graduada pela incubadora da UFRRJ, atuante no ramo de defensivos agrícolas biológicos para agricultura orgânica, que mantém convênio com a universidade, que além de doar 800 embalagens colocou a disposição sua planta para a produção do álcool.

Para se ter uma ideia da capacidade de produção de álcool 70º, o grupo 70 Rural consegue produzir 1500 litros por semana, enquanto na sede da Agribio a capacidade sobe para 2.000 litros diários.

Para Clarissa, o trabalho voluntariado que eles se propuseram a fazer não é nenhum tipo de caridade, “É uma necessidade. Estamos enfrentando um problema de saúde publica. É uma tentativa de participação da universidade na solução de um problema que é de todos. A saúde pública é um conceito maior. Em grandes metrópoles, em particular, está pandemia mostra que a saúde do outro é, sim, um problema seu. Ele pode te contaminar, ocupar um leito que você usaria…. Em suma, tentamos colaborar pra minimizar o contágio e achatar a curva, diluindo o contágio no tempo. Enquanto pudermos diluir e distribuir, vamos diluir e distribuir. É uma questão de responsabilidade social. Não caritativa. Seria bom que as pessoas pudessem entender que todos fazem parte disto”, destaca a coordenadora do grupo 70 Rural.

PARCEIRA DO 70 Rural, Agribio tem planta com capacidade de produzir 2.000 litros de álcool por dia para atender o projeto

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MATÉRIA ATUALIZADA EM 24/04/2020

Veja mais de:
Matérias relacionadas
- Advertisment -

Mais lidas

error: O conteúdo está protegido!