sexta-feira, outubro 22, 2021
InícioSem categoriaCâmara começa a discutir Comissão Processante

Câmara começa a discutir Comissão Processante

Primeira sexta-feira do ano é marcada com plenário da Câmara de Itaguaí lotado

A sessão extraordinária na Câmara Municipal de Itaguai deu início na noite desta sexta-feira, 3, para votar o parecer prévio da Comissão Especial Processante número 4 (CEP), que apura denúncia de nepotismo na prefeitura de Itaguaí contra o prefeito Carlo Busatto Junior, o Charlinho, e seu vice Abeilard Goulart de Souza Filho, o Abeilardinho.

O vereador Ivan Charles apresentou argumentos sobre sua condição de parentesco de terceiro grau com o Beto da Reta, um dos envolvidos na denúncia, que, segundo apresentou parecer da Procuradoria Geral da Câmara, não o considera suspeito de votar na sessão por entender que quem está sendo denunciado são o prefeito e o vice.

A CEP é presidida pelo Pr

Primeira sexta-feira do ano é marcada com plenário da Câmara de Itaguaí lotado

A sessão extraordinária na Câmara Municipal de Itaguai deu início na noite desta sexta-feira, 3, para votar o parecer prévio da Comissão Especial Processante número 4 (CEP), que apura denúncia de nepotismo na prefeitura de Itaguaí contra o prefeito Carlo Busatto Junior, o Charlinho, e seu vice Abeilard Goulart de Souza Filho, o Abeilardinho.

O vereador Ivan Charles apresentou argumentos sobre sua condição de parentesco de terceiro grau com o Beto da Reta, um dos envolvidos na denúncia, que, segundo apresentou parecer da Procuradoria Geral da Câmara, não o considera suspeito de votar na sessão por entender que quem está sendo denunciado são o prefeito e o vice.

A CEP é presidida pelo Professor Willian Cezar e tem Gil Torres como relator e Robertinho como membro. Além do prefeito e do vice, estão sendo apontados como beneficiários do nepotismo na prefeitura os vereadores Reinaldo do Frigorífico, Haroldinho Jesus e Fabinho Rocha.
São necessários nove votos para aprovar o relatório prévio. Confirmado este número, a próxima etapa será a de levantamento de documentos e oitivas de testemunhas.

O prazo para decidir sobre a cassação dos chefes do executivo são 45 dias a partir desta data.

Sessão extraordinária contou com quórum completo
Veja mais de:
Matérias relacionadas
- Advertisment -

Mais lidas

error: O conteúdo está protegido!