sexta-feira, outubro 22, 2021
InícioSem categoriaISP registra queda na criminalidade no primeiro semestre

ISP registra queda na criminalidade no primeiro semestre

O Instituto de Segurança Pública (ISP) divulgou nesta quinta-feira (16), os dados referentes aos registros de ocorrência lavrados nas delegacias de Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro. De acordo com o ISP, desde o dia 13 março, o Estado do Rio de Janeiro tem adotado medidas restritivas para prevenir e combater a propagação da pandemia do novo coronavírus.

O instituto informou ainda, que neste período, os registros de ocorrência dos crimes sofreram impacto nos meses de março, abril, maio e junho. Os indicadores, segundo ISP, podem apresentar queda por causa do distanciamento social, que ajudou na redução da criminalidade, e da diminuição dos registros das ocorrências, resultando em subnotificações.

Segundo o ISP, os dados divulgados são referentes aos registros de ocorrência lavrados nas Delegacias de Polícia Civil do estado. Aind

O Instituto de Segurança Pública (ISP) divulgou nesta quinta-feira (16), os dados referentes aos registros de ocorrência lavrados nas delegacias de Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro. De acordo com o ISP, desde o dia 13 março, o Estado do Rio de Janeiro tem adotado medidas restritivas para prevenir e combater a propagação da pandemia do novo coronavírus.

O instituto informou ainda, que neste período, os registros de ocorrência dos crimes sofreram impacto nos meses de março, abril, maio e junho. Os indicadores, segundo ISP, podem apresentar queda por causa do distanciamento social, que ajudou na redução da criminalidade, e da diminuição dos registros das ocorrências, resultando em subnotificações.

Segundo o ISP, os dados divulgados são referentes aos registros de ocorrência lavrados nas Delegacias de Polícia Civil do estado. Ainda segundo o instituto, durante o período de restrições, os serviços da Delegacia Online (https://dedic.pcivil.rj.gov.br/) e da Central 190, assim como o atendimento presencial para medidas de urgência em todas as unidades policiais, inclusive nas Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (DEAMs), não tiveram o funcionamento alterado.

INDICADORES ESTRATÉGICOS

– Crimes violentos letais intencionais (homicídio doloso, roubo seguido de morte e lesão corporal seguida de morte): 1.953 vítimas nos seis primeiros meses de 2020 e 260 em junho. Esse foi o menor valor para o primeiro semestre e para o mês desde 1999. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou queda de 10,2% em relação ao primeiro semestre do ano e de 14% em relação a junho.

– Homicídio doloso: 1.898 vítimas nos seis primeiros meses de 2020 e 256 em junho. Esses números representam os menores para o acumulado e para o mês desde 1991. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou queda de 9% em relação ao primeiro semestre e de 23% em relação a junho de 2018.

– Roubo seguido de morte (latrocínio): 40 vítimas nos seis primeiros meses de 2020 e duas em junho. Foram os menores registros de casos para o acumulado e para o mês desde 1991. O indicador apresentou 28 mortes a menos do que primeiro semestre do ano passado e seis a menos do que em junho de 2018.

– Morte por intervenção de agente do Estado: 775 mortes nos seis primeiros meses de 2020 e 34 em junho. Na comparação com o ano passado, houve uma diminuição de 12% em relação ao primeiro semestre do ano e de 78% em relação a junho de 2018.

– Roubo de carga: 2.556 casos nos seis primeiros meses de 2020 e 404 em junho. A redução no indicador foi de 36% em relação ao primeiro semestre do ano passado e de 33% na comparação com junho de 2018.
– Roubo de veículo: 13.797 ocorrências nos seis primeiros meses de 2020 e 1.744 em junho. O índice apresentou queda de 36% na comparação com o primeiro semestre do ano passado e de 44% em relação a junho de 2018.

– Roubo de rua (roubo a transeunte, roubo de aparelho celular e roubo em coletivo): 37.763 registros nos seis primeiros meses de 2020 e 4.385 em junho. Houve uma queda de 42% em relação ao primeiro semestre do ano passado e de 54% em comparação a junho de 2018.

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

De acordo com o ISP, durante o período de quarentena devido à pandemia da covid-19, de 13 de março a 30 de junho deste ano, houve uma redução nos registros de ocorrência da violência contra a mulher, de 58,6% nos casos de violência moral, 56,7% em violência patrimonial, de 51,5% em violência psicológica, de 41,8% em violência sexual, de 40,2% em violência física e de 41,6% em Lei Maria da Penha.

No período analisado, apesar da queda dos registros gerais, aumentou a proporção dos crimes ocorridos dentro de casa: 67,2% das mulheres vítimas de violência física (ante 60,3% em 2019) e 68% de violência sexual (ante 57,4% em 2019) sofreram os abusos dentro de casa.

Veja mais de:
Matérias relacionadas
- Advertisment -

Mais lidas

error: O conteúdo está protegido!