terça-feira, maio 17, 2022
InícioDestaqueDocas do Rio participa de debates no Sudeste Export 2022 

Docas do Rio participa de debates no Sudeste Export 2022 

Evento reuniu lideranças e especialistas em logística e infraestrutura portuária para discutir temas relevantes do setor

A Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ), que administra os Portos do Rio de Janeiro, Itaguaí, Niterói e Angra dos Reis, marcou presença no Fórum Regional Sudeste Export 2022, do qual também é patrocinadora. O evento, que reúne lideranças e especialistas de Logística e Infraestrutura Portuária para discussão de temas relevantes do setor, foi realizado em Vitória (ES) nos dias 11 e 12 de abril e transmitido online gratuitamente, via plataforma Zoom. 

No primeiro dia do evento, os participantes visitaram o Terminal Portuário de Vila Velha (TVV) e o Centro de Controle de Operações (CCO-VTMIS) do Porto de Vitória. Na solenidade de abertura, estiveram presentes autoridades do Espírito Santo, o diretor-presidente da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), Julio Castiglioni, também anfitrião do evento, além de representantes de algumas entidades. O diretor de Gestão Portuária da Docas do Rio, Mário Povia, participou da cerimônia e do início dos trabalhos na condição de presidente do Conselho Sudeste Export. 

Os painéis do segundo dia trouxeram temas como “Futuro do Porto de Vitória e novas perspectivas para o mercado”; “Investimentos em malha ferroviária da região Sudeste”; “Implantação do pedágio Free-Flow nas rodovias da região Sudeste; e “Novos negócios e os caminhos logísticos para a competitividade da produção no Sudeste”. O último painel – “Aplicação das tarifas portuárias como fator de equilíbrio e sucesso nas operações” – foi apresentado pelo conselheiro do Sudeste Export, Carlos Portella, que foi membro do Conselho de Administração da Docas do Rio, e contou com o diretor Mário Povia como debatedor, ao lado de representantes da Codesa e da Santos Port Authority (SPA). 

Em suas considerações, Mário Povia disse que a tarifa portuária por si só não é determinante para um navio optar por atracar em um determinado porto, eis que essa decisão está associada a diversos fatores: “O armador ou qualquer ‘player’ não analisa somente a tarifa, mas também níveis de serviço, infraestrutura disponível, fretes de retorno, benefícios fiscais e toda a gama de questões logísticas que permeiam a linha de navegação”. Para Povia, “foi um equívoco do Tribunal de Contas da União (TCU) tutelar o preço-teto da tabela 1 quando da modelagem da concessão do Porto de Vitória”, apontando a inexistência de correlação dessa rubrica com o valor do frete internacional, vindo a beneficiar o armador em detrimento de um concessionário que terá muitos desafios pela frente. 

Ainda segundo o diretor, o modelo tarifário deveria ter sido discutido com a sociedade em dois momentos distintos: quando do desenvolvimento do modelo e quando do cálculo do quantum das rubricas: “Sei que é difícil discutir tudo com todos, mas é preciso que o gestor, o regulador, tenha em mente que podem ocorrer, nesse primeiro momento, alguns desníveis, e que isso tem que ser tratado caso a caso, porque pode impactar a competitividade dos operadores no curto prazo”. Povia concluiu sua participação no debate dizendo que o importante é a administração portuária cumprir sua missão de ser eficiente. “E ser eficiente é prover a infraestrutura necessária, prestar o chamado ´serviço adequado´ cobrando o valor justo, honrar os contratos, realizar os investimentos e benfeitorias previstos e desenvolver novos negócios para o porto. Dessa forma, teremos níveis de competitividade que vão gerar lucro operacional e viabilizarão o negócio portuário, seja ele administrado por uma empresa pública ou privada, acrescentando que o setor passa por um bom momento em nosso país”. 

O evento contou ainda com a presença do diretor-presidente da Docas do Rio, Francisco Antonio de Magalhães Laranjeira; do diretor de Negócios e Sustentabilidade, Jean Paulo Castro e Silva; e dos membros do Conselho de Administração (CONSAD) da Docas do Rio, Carlos Fortner e Cláudio Soares. 

SOBRE O FÓRUM

O Brasil Export é um Fórum permanente e multisetorial que promove o diálogo entre os agentes envolvidos com as operações portuárias, de logística e de infraestrutura. Com seus organismos regionais, o Fórum conta com mais de 250 conselheiros e profissionais qualificados. Desde 2020 acontecem edições regionais com o objetivo de debater temas essenciais para o segmento e promover visitas técnicas. Nos últimos dois anos, o fórum regional Sudeste Export aconteceu em São Paulo e no Rio de Janeiro.  

Veja mais de:
Matérias relacionadas

Mais lidas

error: O conteúdo está protegido!