domingo, agosto 14, 2022
InícioDestaqueCanal principal do Porto de Itaguaí tem profundidade ampliada para 20 metros

Canal principal do Porto de Itaguaí tem profundidade ampliada para 20 metros

A profundidade máxima do canal principal do Porto de Itaguaí foi ampliada para 20 metros. A homologação da Marinha do Brasil (MB) foi publicada no último dia 24 de maio, após análise de um levantamento hidrográfico realizado próximo a boia nº 5, onde foi executado o corte em uma área de fundo rochoso, que antes limitava a profundidade em 19,5 metros. A informação é da Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ), Autoridade Portuária responsável pela administração do porto.  

Segundo o superintendente de Gestão Portuária de Itaguaí e Angra dos Reis, Alexandre Neves, o fundo rochoso em questão foi descoberto em 2009, durante uma dragagem, e foi necessária sua derrocagem para igualar a profundidade do trecho com a profundidade do restante do canal: “A intervenção, iniciada em agosto de 2021, foi contratada pelo Porto Sudeste mediante contrato de doação firmado com a Docas do Rio, e foi finalizada em abril deste ano”.  

Neves ressaltou que “a remoção de aproximadamente 108m3 de rocha submersa, embora no licenciamento ambiental estivessem autorizados até 900 m3, foi realizada com uma metodologia limpa, sustentável e inovadora – com fio diamantado, sem necessidade de explosão e seguindo as melhores práticas, com registros constantes de monitoramento ambiental, além de ter passado por vistorias técnicas do Instituto Estadual do Ambiente (INEA), da equipe de Sustentabilidade do Negócio da CDRJ e da Delegacia da Capitania dos Portos em Itacuruçá”.   

Com a regularização dos novos parâmetros de profundidade do canal de acesso, o superintendente disse que os objetivos do projeto foram alcançados: “a ampliação da profundidade proporcionará melhores condições de segurança à navegação e permitirá o aumento da eficiência operacional e da competitividade para as atividades do Complexo Portuário da Baía de Sepetiba, que engloba o Porto de Itaguaí e terminais privados”.

DOCAS RECEBE PRÊMIO

A Companhia Docas do Rio de Janeiro recebeu o “Prêmio Portos + Brasil” do Ministério da Infraestrutura (MInfra) pela terceira colocação na categoria “Avanço do Índice de Gestão da Autoridade Portuária (IGAP)”. A cerimônia que marcou a terceira edição da premiação, em reconhecimento à excelência de todo o setor portuário, aconteceu na noite de quinta-feira (23), no Clube Naval, em Brasília.

A categoria Avanço IGAP foi novidade no evento deste ano e avaliou os desempenhos no IGAP, que considera indicadores financeiros, contábeis, de transparência administrativa, estrutura organizacional, regularidade tributária e trabalhista, manutenção dos acessos aquaviários, entre outros. O primeiro lugar da categoria foi para a Sociedade Portos e Hidrovias do Estado de Rondônia (SOPH-RO) e a segunda posição ficou com a Companhia Docas do Rio Grande do Norte (Codern). 

O diretor-presidente da Docas do Rio, Francisco Antonio de Magalhães Laranjeira, e o diretor de Negócios e Sustentabilidade, Jean Paulo Castro e Silva, prestigiaram a solenidade ao lado de representantes do Governo Federal e gestores dos portos públicos e de terminais privados de todo o país. “A premiação reconhece o alto nível técnico na gestão da Docas do Rio, cada vez mais alinhada às melhores práticas, e o trabalho incansável dos empregados da companhia, dos arrendatários e demais parceiros da comunidade portuária do Rio de Janeiro, comprometidos com a excelência dos serviços prestados em nossos portos. Parabéns a todos os envolvidos pela conquista”, declarou o presidente Laranjeira. O “Prêmio Portos + Brasil” é uma iniciativa da Secretaria Nacional de Portos e Transportes Aquaviários (SNPTA/MInfra), que criou a premiação como forma de avaliar o setor portuário e estimular a busca permanente de excelência na gestão dos portos públicos e terminais privados do Brasil. Além do Avanço no Igap, na edição deste ano, também foram contempladas as seguintes categorias: Execução de Investimentos Planejados; Variação do Lucro Operacional (margem Ebitda); Ranking do Índice de Gestão da Autoridade Portuária (Igap); Crescimento da Movimentação Portos Públicos; Crescimento da Movimentação Granel Sólido Agrícola; Crescimento da Movimentação Granel Sólido Mineral; Crescimento da Movimentação Granel Líquido; e Crescimento da Movimentação Container.

Veja mais de:
Matérias relacionadas

Mais lidas

error: O conteúdo está protegido!