quarta-feira, maio 18, 2022
InícioDestaqueBalanço financeiro da Nuclep em 2021 demonstra superávit pela primeira vez na...

Balanço financeiro da Nuclep em 2021 demonstra superávit pela primeira vez na sua história

Estatal faturou R$ 37,8 milhões no ano passado e começa 2022 com otimismo para novos negócios

Junto à Itaguaí Construções Navais (ICN), a Nuclebrás Equipamentos Pesados (Nuclep) compõe em Itaguaí, na Ilha da Madeira, um dos mais importantes complexos industriais do estado do Rio de Janeiro e – por que não dizer – do país. Em dificuldades financeiras há alguns anos, a estatal é uma das que integra uma lista de futuras privatizações na mira do governo federal, mas há quem concorde e quem reclame. Enquanto esse processo não ata nem desata, novos rumos já tomaram forma na Nuclep.

A fim de sair do vermelho, em março do ano passado a estatal anunciou que decidiu investir na produção de torres de transmissão para diversificar suas atividades. Parece que o movimento deu certo, porque na última sexta-feira (14) a empresa anunciou um superávit de R$ 105 mil.

FATURAMENTO E OTIMISMO

Segundo o informe, a empresa virou o ano com cerca de R$ 7,2 milhões em caixa e por volta de R$ 7 milhões em restos a pagar não processados. O faturamento da empresa em 2021 foi em torno de R$ 37,8 milhões com um viés de superávit, pela primeira vez na história da empresa.

 “Mesmo com os desafios impostos pela pandemia em 2021, o resultado orçamentário deixou evidente o esforço dessa gestão. Todas as nossas despesas e investimentos foram executados conforme o planejamento. Encerramos a execução junto ao Ministério de Minas e Energia ratificando a integração e sinergia de todos os setores da Nuclep por um 2022 ainda mais bem sucedido”, destacou o Gerente Geral de Planejamento e Finanças, Genildo Rodrigues de Araújo.

Em março de 2021, o presidente da Nuclep, Carlos Henrique Silva Seixas, disse ao ATUAL (https://jornalatual.com.br/nuclep-inaugura-linha-de-producao-de-torres-de-transmissao-de-energia/) que a expectativa de aumentar o faturamento em 2021 era grande, com previsão de mais alguns milhões em 2022. Segundo ele, o otimismo tem a ver com o fato de que a produtividade da empresa passou a se concentrar também no ramo energético, e não só na fabricação de insumos para a indústria nuclear, de defesa e pesada.

Em mais de uma ocasião, o presidente Seixas declarou que era necessário a Nuclep fabricar algo de forma contínua, e não esporádica, como acontece com peças e insumos para os segmentos nuclear e de defesa.  Ainda de acordo com ele, a chave para o sucesso da Nuclep é a autossuficiência financeira. A boa notícia desse começo de 2022 parece um passo importante nessa direção.

Veja mais de:
Matérias relacionadas

Mais lidas

error: O conteúdo está protegido!