quinta-feira, dezembro 2, 2021
InícioItaguaíBairros de Itaguaí amanhecem debaixo d’água

Bairros de Itaguaí amanhecem debaixo d’água

Ainda se recuperando dos prejuízos causados pelos alagamentos das chuvas da semana passada, Itaguaí voltou ficar inundada com o temporal que atingiu a região na madrugada desta quarta-feira (13). Os bairros mais castigados, onde moradores e comerciantes ainda contabilizavam os prejuízos da chuva passada, foram Engenho, Monte Serrat, Ponte Preta, Amendoeira, Brisamar e Chaperó. Em algumas ruas do Centro, bolsões d’água se formaram complicando ainda mais o trânsito caótico da cidade. No final a Avenida Itaguaí, próximo a antiga Rua 40, um bolsão de água se formou impedindo o tráfego de veículos no local.   No bairro do Engenho, várias ruas amanheceram alagadas e, o que se via eram motoristas procurando rotas alternativas para desviar dos alagamentos, que em alguns pontos passavam de meio metro. Moradores que tiveram suas casas i

Ainda se recuperando dos prejuízos causados pelos alagamentos das chuvas da semana passada, Itaguaí voltou ficar inundada com o temporal que atingiu a região na madrugada desta quarta-feira (13). Os bairros mais castigados, onde moradores e comerciantes ainda contabilizavam os prejuízos da chuva passada, foram Engenho, Monte Serrat, Ponte Preta, Amendoeira, Brisamar e Chaperó. Em algumas ruas do Centro, bolsões d’água se formaram complicando ainda mais o trânsito caótico da cidade. No final a Avenida Itaguaí, próximo a antiga Rua 40, um bolsão de água se formou impedindo o tráfego de veículos no local.  

No bairro do Engenho, várias ruas amanheceram alagadas e, o que se via eram motoristas procurando rotas alternativas para desviar dos alagamentos, que em alguns pontos passavam de meio metro. Moradores que tiveram suas casas inundadas aproveitavam para tentar recuperar os bens matérias e contabilizar os prejuízos. Nas Ruas Salim Francisco do Nascimento e João Rosa Gonzales viraram um rio. Moradores contaram ao ATUAL, que toda vez que chove o problema se repete. “Gastei mais de R$ 50 mil levantando a minha casa e o quintal, mas não adiantou. Não sei mais o que fazer! Durante a campanha o atual prefeito e o vice-prefeito estiveram aqui e prometeram dar uma solução, mas dois anos se passaram e até agora nada foi feito. É um descaso com morador que paga todos os seus impostos em dia e acaba sendo prejudicado. Nem a coleta de lixo está sendo feita regularmente”, desabafou o morador que preferiu não se identificar.

Outro morador contou que a falta de limpeza dos rios, bueiros e galerias pluviais contribuem para os constantes alagamentos não só no Engenho, mas também nos outros bairros. “Estou com a bomba ligada desde a madrugada tirando a água da minha casa. A gente não sabe mais o que fazer e nem a quem recorrer”, lamentou. 

A Rua João Rosa Gonzales virou um rio alagando residências e comércio local
Foto Welington Campos
Os moradores da Rua Salim Francisco do Nascimento ficaram ilhados
Foto Welington Campos
Motoristas se arriscam em rotas alternativas alagadas em ruas do Bairro do Engenho
Foto Welington Campos

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) divulgou um alerta de condições severas para o estado do Rio de Janeiro de hoje até sábado (16), devido a áreas de instabilidade na madrugada e manhã de hoje. Na parte da tarde, é esperada a aproximação de uma frente fria combinada com uma baixa pressão próxima à costa do estado.

Com isso, são esperadas chuva intensa, raios e rajadas de vento que podem superar os 80 km/h. A Marinha divulgou um alerta de ressaca das 10h de hoje às 10h de quinta-feira (14). São esperadas ondas de até 2,5 metros no litoral do Rio.

Na estação meteorológica da Ilha da Marambaia, na zona oeste, foram observadas rajadas de vento de 73 km/h.

LIXO ACUMULADO

Moradores também reclamaram da irregularidade na coleta de lixo no bairro. Segundo eles, normalmente o serviço é realizado três vezes por semana, mas nos últimos meses, esse serviço só é feito uma vez por semana. “Com o serviço precário, o acúmulo aumenta e acaba se espalhando pelas ruas e entupindo os bueiros, que já não são limpos há anos e contribuem para os constates alagamentos no bairro”, contou um morador que também preferiu não se identificar.

WELINGTON CAMPOS

welington.campos@jornalatual.com.br

Veja mais de:
Matérias relacionadas
- Advertisment -

Mais lidas

error: O conteúdo está protegido!