sexta-feira, outubro 22, 2021
InícioDestaqueAudiência pública na Câmara dos Deputados discute futuro da Nuclep nesta quarta

Audiência pública na Câmara dos Deputados discute futuro da Nuclep nesta quarta

Empresa faz parte do Programa Nacional de Desestatização do governo federal

A Nuclebrás Equipamentos Pesados (Nuclep) é tema, nesta quarta-feira (06), de uma audiência pública na Câmara dos Deputados para discutir o destino de sua privatização. O evento é online e teve início às 16h, com transmissão ao vivo. As discussões acontecem em meio ao avanço do Programa Nacional de Desestatização, que decidiu pela privatização da Nuclep. A empresa tem sede em Itaguaí e compõe parte fundamental da economia do município. Além de gerar receitas via impostos, ela também é grande geradora de empregos locais e demanda diversos equipamentos para a cadeira produtiva do setor nuclear. O deputado Júlio Lopes (PP-RJ) manifestou posição contrária ao parecer que decidiu pela privatização, e decidiu convocar a audiência virtual. Em postagem nesta quarta no Facebook, ele ressaltou que a empresa promove a indústria naci

A Nuclebrás Equipamentos Pesados (Nuclep) é tema, nesta quarta-feira (06), de uma audiência pública na Câmara dos Deputados para discutir o destino de sua privatização. O evento é online e teve início às 16h, com transmissão ao vivo.

As discussões acontecem em meio ao avanço do Programa Nacional de Desestatização, que decidiu pela privatização da Nuclep. A empresa tem sede em Itaguaí e compõe parte fundamental da economia do município. Além de gerar receitas via impostos, ela também é grande geradora de empregos locais e demanda diversos equipamentos para a cadeira produtiva do setor nuclear.

O deputado Júlio Lopes (PP-RJ) manifestou posição contrária ao parecer que decidiu pela privatização, e decidiu convocar a audiência virtual. Em postagem nesta quarta no Facebook, ele ressaltou que a empresa promove a indústria nacional: “Devemos avaliar sua atual gestão, carteira de negócios e quanto custa não ter essa empresa no país. O debate é necessário e saudável a qualquer decisão”, explicou Lopes.

O representante da Nuclep no evento foi o presidente da empresa, o contra-almirante Carlos Henrique Seixas. Em seu discurso, Seixas explicou a importância da Nuclep para a saúde econômica do estado do Rio de Janeiro: “A Nuclep não foi construída em Itaguaí por acaso. Ali ela pode estrategicamente atender às usinas de Angra, além de estar próxima à rodovia Rio-Santos e também dos municípios do Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte”, disse Seixas.  

O QUE ESTÁ EM DISCUSSÃO

O objetivo da audiência na Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços da Câmara dos Deputados é debater o Decreto 153/20, do deputado André Figueiredo (PDT-CE). A medida suspende os efeitos do Decreto 10.322/20, que incluiu a Nuclep no Programa Nacional de Desestatização.

Conforme mostrou o ATUAL, em julho o presidente Jair Bolsonaro assinou o decreto que cria uma estatal para atuar na área de energia nuclear. A nova empresa controlará a Eletronuclear, que é responsável pelas usinas nucleares brasileiras e tem a Nuclep como parte fundamental do setor.

ATIVIDADES DA NUCLEP

A Nuclep é a maior caldeiraria pesada do Brasil e faz parte do programa nuclear brasileiro. Ela produz equipamentos para as usinas de Angra, para plataformas de petróleo além de, em março deste ano, entrar no mercado de produção de torres de transmissão de energia. De acordo com a empresa, a imersão neste mercado pode garantir seu desejado equilíbrio financeiro.

Outra área estratégica de atuação da empresa é o Programa de Submarinos da Marinha (Prosub). Além da produção de quatro submarinos comuns, a Nuclep é responsável pela fabricação de componentes para o submarino nuclear em construção. A estimativa é que a obra termine até 2029.

Veja mais de:
Matérias relacionadas
- Advertisment -

Mais lidas

error: O conteúdo está protegido!