domingo, outubro 24, 2021
InícioSem categoriaSustentabilidade e Baía de Guanabara movimentam o quarto dia da Semana Polo...

Sustentabilidade e Baía de Guanabara movimentam o quarto dia da Semana Polo do Mar Conecta

jupy.junior@jornalatual.com.br

 

As atrações no quarto dia da Semana Polo do Mar Conecta dividiram-se em dois painéis: “Polo do Mar da Baía de Guanabara” e “Saúde e Sustentabilidade no Mar”. A Semana Polo do Mar Conecta é um evento organizado pelo Sebrae Rio e o Sistema Fecomércio/RJ, com o apoio da Secretaria estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais, que acontece entre os dias 28 de junho e 2 de julho.

Acompanharam as apresentações deste quarto dia 128 pessoas. Com isso, a frequência alcança 734 participantes até agora.

PAINEL “POLO DO MAR DA BAÍA DE GUANABARA”

A Baía de Guanabara, do estado do Rio de Janeiro, possui potencial no setor de defesa. Em Niterói, dominam a tradição do setor naval e os renomados estaleiros. Além disso, desponta o enorme crescimento do município de Maricá

jupy.junior@jornalatual.com.br

 

As atrações no quarto dia da Semana Polo do Mar Conecta dividiram-se em dois painéis: “Polo do Mar da Baía de Guanabara” e “Saúde e Sustentabilidade no Mar”. A Semana Polo do Mar Conecta é um evento organizado pelo Sebrae Rio e o Sistema Fecomércio/RJ, com o apoio da Secretaria estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais, que acontece entre os dias 28 de junho e 2 de julho.

Acompanharam as apresentações deste quarto dia 128 pessoas. Com isso, a frequência alcança 734 participantes até agora.

PAINEL “POLO DO MAR DA BAÍA DE GUANABARA”

A Baía de Guanabara, do estado do Rio de Janeiro, possui potencial no setor de defesa. Em Niterói, dominam a tradição do setor naval e os renomados estaleiros. Além disso, desponta o enorme crescimento do município de Maricá, que atualmente recebe um dos maiores volumes de royalties do estado.

Nesse sentido, o objetivo deste painel foi conectar diversas oportunidades para os pequenos negócios por meio do poder de compra das grandes empresas, importantes atores para o desenvolvimento econômico fluminense que geram, consequentemente, emprego e renda.

A abertura foi com a palestra “Navegar é preciso”, de Tony Correia, diretor da Adepi (Arte e Desenvolvimento). Tony destacou a figura de Jeanne Baret, que, disfarçada de homem, foi a primeira mulher, a circunavegar o planeta. Inspirado neste fato, o palestrante propôs que 2022 fosse o ano de festas para celebrar a Baía de Guanabara.

O superintendente de Infraestrutura da Subsecretaria de Industria, Comércio, Serviços e Ambiente de Negócios (Subian), Amarante Henrique, falou em seguida. Ele destacou a intenção do governo do estado em fazer do Rio de Janeiro um catalisador de importações e importações do sudeste do país e citou os desafios nesta empreitada: aumentar a integração logística dos Polos do Mar fluminenses, suplantar a concorrência interna por uma política de cooperação e especialização dos terminais portuários e a recuperar a malha ferroviária do estado. Desta maneira, torna-se possível interligar os polos agrícolas e industriais do interior ao litoral, o que aumentaria as exportações.

Paulo Rolim, presidente da Associação Conselho Empresarial Naval Offshore e Serviços de Niterói, foi o palestrante seguinte. Ele ressaltou que a entrada de novos participantes devem integrar as cadeias produtivas na região e assim retomar projetos de exploração dos poços do pré-sal adquiridos em leilão. Como o setor agora está em recuperação, portos e estaleiros da região podem contar com novas oportunidades de clientes, e assim diminuir a dependência da Petrobras, que monopoliza o setor.

O próximo palestrante foi Olavo Noleto, presidente da Companhia de Desenvolvimento de Maricá. Ele falou sobre a transformação de Maricá a partir do advento de grandes investimentos na cidade: o Parque Tecnológico, o aeroporto e outros. Falou também sobre os cuidados necessários com o ordenamento urbano e as políticas específicas voltadas para os empreendedores locais.

Marcos Bastos, representante da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), foi o palestrante seguinte. Ele falou sobre Universidade do Mar, que está em processo de implementação. Falou também sobre os polos avançados no mar (em Brocoió) e em terra (em Paquetá), que contam com um navio oceanográfico. A universidade espera contribuir com a recuperação socioambiental da Baía, aprimorando a sustentabilidade dos usos feitos ao corpo de água. Barros ressaltou que UERJ espera participar da capacitação dos técnicos de empresas do setor.

Luiz Paulino Moreira Leite, presidente da ACIERJ, foi o próximo. Sua palestra abordou o trabalho da empresa de adensar as cadeias produtivas, o que produz colaboração na união do setor e estimula o crescimento da indústria naval.

Fernando Reis, da Artefatos Técnicos de Borracha (ATBL), encerrou o painel e contou sua trajetória no desenvolvimento da empresa para atender os requisitos de atendimento ao setor naval.

PAINEL “SAÚDE E SUSTENTABILIDADE”

A gerente da área de Gestão de Pessoas do Sebrae/RJ, Marcia Bontorim, abriu o segundo painel do dia. Ela disse que determinadas iniciativas ajudam a conhecer o mar e como defendê-lo com o uso sustentável dos seus recursos. Bontorim listou as iniciativas: cursos de pós-graduação em biotecnologia marinha e comunicação acústica submarina; pesquisas para mitigação dos impactos causados pelas embarcações; a nova embarcação da faculdade de oceanografia; a futura universidade do mar; a logística aquaviária, além das atividades e esportes que podem ser realizados nos munícipios costeiros e pequenas empresas e startups que atendem essa cadeia de valor.

Do Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira, o professor Ricardo Coutinho foi o palestrante seguinte. Ele contou um pouco sobre as perspectivas para jovens cientistas marinhos empreendedores na Região dos Lagos.

Marcos Bastos, representante da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), falou sobre o navio oceanográfico da instituição e sobre pesquisa, capacitação e oportunidades de negócios nas regiões costeiras e oceânicas.

Leonardo Brum, palestrante seguinte, contou sobre a Norsul, IoT e o setor naval.

Júlio Hermes, da empresa Geosaker, participou como convidado e contou sobre seu drone submarino para o setor naval.

Da empresa Algii é o outro convidado, Fernando Vendramini. Ele representa uma startup que utiliza algas marinhas para produção de cosméticos.

QUINTO DIA: ÓLEO & GÁS E RODADA DE NEGÓCIOS

No quinto e último dia do evento, a Palestra Magna é “A importância da ESG – Environmental, Social and Governance – para o Desenvolvimento de Polos ou Clusters e o mercado local”, com o professor Paulo Reis Mourão, da Universidade do Minho (Braga, Portugal).

Além disso, faz parte da programação: Fórum de Fornecedores do Porto do Açu e o Desenvolvimento das empresas de São Joao da Barra e do seu entorno; Cadeia Produtiva de Óleo & Gás – Polo do Mar da Bacia de Campos e Inovação no Setor de Petróleo e Gás.

Haverá também rodada de negócios com as empresas Porto do Açu, Açu Petróleo, Ferroport e GNA.

SOBRE A SEMANA POLO DO MAR CONECTA

O evento gratuito ocorre de forma virtual entre os dias 28 de junho e 2 de julho, com várias atrações, sob o tema geral “Economia do Mar” (um conjunto de empresas, trabalhadores, entidades, pesquisadores e instituições em torno do mesmo ativo econômico: o mar). São 40 palestrantes, 24 instituições, 20 horas de palestras, 15 grandes empresas participantes e, ao final, rodadas de negócios que prometem inserir pequenos e médios empreendimentos na cadeia produtiva do setor.

O evento tem 10 eixos temáticos. O objetivo principal é unir e agregar as cadeias produtivas dos Polos Competitivos da Rede de Valor da Economia do Mar do estado do Rio de Janeiro para disseminar informações, promover networking e oportunidades de negócios.

O link para participar é  https://conteudos.rj.sebrae.com.br/semanapolodomarconecta .

 

Veja mais de:
Matérias relacionadas
- Advertisment -

Mais lidas

error: O conteúdo está protegido!