quarta-feira, maio 18, 2022
InícioDestaqueSim! Rebeca vive em Itaguaí, é esposa, mãe e pedreira

Sim! Rebeca vive em Itaguaí, é esposa, mãe e pedreira

Moradora de Chaperó engrossa estatística do IBGE sobre presença feminina nos canteiros de obra

Tijolo por tijolo. É dessa forma que Rebeca Lopes da Silva constrói sua vida. Moradora do bairro Chaperó, em Itaguaí, ela mudou os rumos de sua vida e anuncia seu trabalho com uma propaganda onde prevalece a competência e honestidade. “Você que tá precisando de pedreira competente ou ladrilheira  sem se aborrecer…”, assim diz ela em sua rede social. É isso mesmo. Rebeca é pedreira.

Apesar de ainda ser incomum ver uma mulher em um canteiro de obras, dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2018 revelam que os números só crescem e que o ambiente, anteriormente ocupado apenas por homens, hoje se torna cada vez mais feminino. E dessa forma, mulheres como Rebeca ganham o pão de cada dia, driblam o desemprego e o preconceito.

INÍCIO

Ela conta que sempre gostou de lidar com obras: “Meu avô não era pedreiro, mas sempre mexeu com obras e eu admirava e ajudava. Já gostava. Eu era costureira e a empresa que eu trabalhava começou a dispensar um monte de gente. Eu fui uma das pessoas dispensadas. Aí pronto. Comecei a trabalhar com obras”, conta Rebeca.

ORGULHO DA FAMÍLIA

Em seu segundo casamento, Rebeca, de 39 anos, conta que recebe muito apoio de todos. Mãe de um casal de filhos (um rapaz de 18 anos e uma menina de 10), a pedreira se sente muito feliz por poder sustentar sua família com um trabalho honesto e ainda inspirar outras pessoas.

“Meus filhos me admiram muito. Quando meu filho está com tempo disponível, é ele quem me ajuda nas obras e a minha filha diz que quer ser igual a mim. Isso me deixa muito feliz. Eu digo para ela estudar, mas fico feliz”, afirma a pedreira que ainda diz que chama o marido, que é eletricista, para fazer o devido serviço nas obras que ela faz.

LAZER E SONHO

Mas não são apenas pedra, tijolo, areia e cimento que povoam os pensamentos de Rebeca. Nas horas de lazer, ela conta que ama mexer no carro. Sim, além de trabalhar como costureira, Rebeca também já trabalhou em uma oficina mecânica.

Com a flexibilização das atividades depois de restrições maiores por conta da pandemia de Covid-19, a pedreira diz que a quantidade de trabalho tem aumentado, mas que as coisas ficaram bem difíceis no auge da pandemia, que ainda não acabou. “Hoje os trabalhos estão chegando. Agora estou fazendo a parte de emboço de uma casa”, fala.

Rebeca cria seus filhos, prepara a massa, mexe no motor do carro e também sonha: “Meu sonho é ter uma empreiteira. Ter uma firma com bons funcionários. Tem tanta gente que é enganada por pedreiros. Eu queria ter uma empresa e colocar pessoas boas para trabalhar”, declara Rebeca Lopes da Silva, que constrói seus sonhos com as próprias mãos.

Quem quiser contratar os serviços da pedreira de Chaperó, pode entrar em contato pelos números: (21) 98902-9235 ou (21) 97589-0911.

Veja mais de:
Matérias relacionadas

Mais lidas

error: O conteúdo está protegido!