domingo, novembro 28, 2021
InícioItaguaíEstagiário do Comitê Guandu vai representar o Brasil na Suécia

Estagiário do Comitê Guandu vai representar o Brasil na Suécia

Estudante de Engenharia Florestal na UFRRJ levará para a Semana Mundial da Água experiência com sistema de captação de água da chuva de baixo custo para locais de vulnerabilidade social Para quem aos 10 anos de idade já conquistava uma medalha na 2ª Olimpíada Ambiental de Sergipe, não é novidade compartilhar reflexões sobre os desafios que o homem tem de enfrentar hoje para colocar e manter a sustentabilidade no centro das discussões mais urgentes envolvendo as pessoas, as instituições e até as nações do planeta. É essa a oportunidade que, mais uma vez, o estudante Erleyvaldo Bispo terá entre os dias 24 e 29 de agosto de 2019, quando participa, na Suécia, da Semana Mundial da Água, organizada pelo Instituto Internacional da Água de Estocolmo, ou Stockholm International Water Institute (SIWI), que o está apoiando para a viagem.

Estudante de Engenharia Florestal na UFRRJ levará para a Semana Mundial da Água experiência com sistema de captação de água da chuva de baixo custo para locais de vulnerabilidade social

Para quem aos 10 anos de idade já conquistava uma medalha na 2ª Olimpíada Ambiental de Sergipe, não é novidade compartilhar reflexões sobre os desafios que o homem tem de enfrentar hoje para colocar e manter a sustentabilidade no centro das discussões mais urgentes envolvendo as pessoas, as instituições e até as nações do planeta. É essa a oportunidade que, mais uma vez, o estudante Erleyvaldo Bispo terá entre os dias 24 e 29 de agosto de 2019, quando participa, na Suécia, da Semana Mundial da Água, organizada pelo Instituto Internacional da Água de Estocolmo, ou Stockholm International Water Institute (SIWI), que o está apoiando para a viagem.

Já pensando em sua participação, Erley resume o seu papel no evento. “Levarei as minhas perspectivas de jovem profissional no Brasil dentro do Comitê Guandu/RJ, onde assuntos como governança, segurança hídrica e mudanças climáticas são temas de estudos e importantes para o desenvolvimento do Brasil”, diz ele, que é técnico em Agropecuária, graduando em Engenharia Florestal na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, estagiário de Recursos Hídricos da Agência da Bacia do Rio Paraíba do Sul e integra o Laboratório de Sensoriamento Remoto Ambiental e Climatologia Aplicada.

A Semana Mundial da Água é um fórum anual sobre questões relacionadas à água do globo. Em 2019, ela abordará o tema “Água para a sociedade – incluindo todos”. Na edição do ano passado, ela reuniu mais de três mil pessoas, representando cerca de 380 organizações de 135 países. Especialistas, tomadores de decisões, gestores de negócios e jovens profissionais de variados setores aproveitam a ocasião para trocar ideias, fomentar novos pensamentos e desenvolver soluções para desafios urgentes relacionados com a água de hoje. Essas pautas se baseiam na premissa de que a água é a chave para a prosperidade futura, e que juntos os países podem alcançar um mundo sábio.

Natural de Lagarto, no interior do Sergipe, Erley sempre estudou em escolas públicas. Ele cursou o ensino médio no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe, formando-se técnico em Agropecuária. Nessa ocasião, participou de duas conferências nacionais representando os jovens sergipanos: a de Educação, em 2014; e da Juventude, um ano depois. Ele também alcançou o 1º lugar estadual no Programa Parlamento Jovem. Integrante da ONG Engajamundo, foi relator voluntário do 8º Fórum Mundial da Água, em 2018, oportunidade em que foi convidado do 4ª Conferência Global sobre Políticas Climáticas, naquele mesmo ano.

Entre os feitos de Erley está ainda a conquista de uma bolsa jovem do programa Diplomacia Civil da Global Attitude, quando se consagrou como o primeiro bolsista da instituição, concorrendo com mais de 300 jovens de todas as regiões do Brasil. Esse desempenho o levou ao Fórum dos Países da América Latina e o Caribe sobre Desenvolvimento Sustentável, organizado pela Comissão Econômica das Nações Unidas para a América Latina e o Caribe. “Trago como pontos focais de estudos e pautas ambientais as questões hídricas, motivado por minhas vivências enquanto jovem nordestino, onde a escassez e o significado, além de aspectos utilitaristas, sempre estiveram presentes em torno do tema, que se relaciona também com o clima e biodiversidade”, diz Erley, que também é fundador & CEO de “Águas Resilientes”, projeto socioambiental que busca mitigação das mudanças climáticas e leva segurança hídrica e educação climática para pessoas em situação de vulnerabilidade, gerando impacto social por um sistema de captação de água da chuva de baixo custo, temas, aliás, que levará na mala e na mente para a Suécia.

Veja mais de:
Matérias relacionadas
- Advertisment -

Mais lidas

error: O conteúdo está protegido!