domingo, janeiro 23, 2022
InícioItaguaíCruzeiro de Pedra é reinaugurado em Mangaratiba

Cruzeiro de Pedra é reinaugurado em Mangaratiba

A Prefeitura de Mangaratiba e a Igreja de Nossa Senhora da Guia reinauguraram, no sábado (24), um dos principais marcos da cidade: O Cruzeiro de Pedra. O prefeito Alan Campos, padre Antonio Celso, bispo José Ubiratan, secretários e vereadores participaram da solenidade, que contou com a apresentação da Orquestra Bamita.

O prefeito Bombeiro falou da importância do cruzeiro para o município. “Se meu mandato acabasse hoje estaria muito feliz. Pois desde que anunciamos a recuperação do cruzeiro sentimos a resposta do povo. Uma aceitação unanime, um carinho imenso e muito importante para a vida da população. Esperamos que esse cruzeiro possa unir todos em prol da cidade. Temos que acabar com essa individualidade. A cidade, o país se afundam em corrupção e vamos conseguir mudar esse cenário aqui”, disse o prefeito Alan Bombeiro.

A solenidade de reinauguração começou com a fala do Chefe Geral do Gabinete, Braz Marcos. Em seguida, a presidente da Fundação Mario Peixoto, Elizabeth Antunes, falou da importância histórica e cultural do monumento. O bispo Dom José Ubiratan Lopes da Diocese de Itaguaí e o padre Antonio Celso também falaram sobre a representatividade da cruz para a cidade. Um vídeo foi apresentado com depoimentos de fiéis, do prefeito, da historiadora Mirian Bondim, e depersonalidades locais. Ao final, o bispo fez uma oração entorno da cruz, o que marcou a reinauguração. A placa foi descerrada pelas autoridades locais e religiosas.

A CRUZ E SUA IMPORTÂNCIA HISTÓRICA

De acordo com informações históricas do padre Galdino Canova, o marco é parte integrante do conjunto da Matriz e da praça de Nossa Senhora da Guia e trata- se provavelmente da cruz cemiterial, pois até o ano de 1837 o cemitério circundava a Matriz. A Cruz foi trazida de Portugal no ano de 1700. Bem majestosa e possante, ela abre os seus braços sobre a quadrangular de 4 degraus, alguma inscrição no pedestal e o braços terminam de forma trilobada.

O Monumento foi ao chão em 2013, quebrando em vários pedaços. As peças foram guardadas na sede da FMP até que o atual governo fizesse o restauro. A melhoria não ficou apenas na recuperação. O seu entorno ganhou melhorias com faixas elevadas para o acesso de pessoas com deficiência, construção de pergolado, jardim e assentos.

Veja mais de:
Matérias relacionadas
- Advertisment -

Mais lidas

error: O conteúdo está protegido!