Aos orixás, mas com danos ao meio ambiente

janeiro 30, 2014 Nenhum Comentário »

Rituais religiosos poluem o meio ambiente. Representante do Candomblé, entretanto, defende a prática

JULIANA TORRES
juliana.torres@jornalatual.com.br

O velho embate entre os limites religiosos encontra no Mazomba mais combustível para discussão: as oferendas nas florestas e nas cachoeiras devem, sim, motivar um debate sobre práticas religiosas nocivas aos direitos da natureza e dos homens. O ATUAL flagrou, no domingo (26) várias oferendas de rituais nas localidades. Religião à parte, é fato que tais oferendas – que podem conter elementos como plástico, panos e cestos – agridem e poluem o meio ambiente. De acordo com o babalorixá Elias Garcia, que representa o Candomblé, a prática das oferendas é indispensável na religião. Mas ele alerta: “Tudo é feito de acordo com a necessidade de cada pessoa”. Mesmo assim, a prática religiosa se torna sim um problema em Itaguaí e também em Mangaratiba, principalmente nas cachoeiras.

Para ter acesso à reportagem completa, assine a edição digital ou impressa do Jornal ATUAL.
Confira também nas bancas de toda região.

De acordo com o babalorixá Elias Garcia, a prática das oferendas é indispensável no Candomblé (Carlos Roberto)

De acordo com o babalorixá Elias Garcia, a prática das oferendas é indispensável no Candomblé 

Deixe um comentário

Você precisa estar Logado para comentar.