As praças da vergonha

agosto 14, 2014 Nenhum Comentário »

Apesar de continuarem como a pálida visão de uma promessa, as praças Barão de Teffé e Vicente Cicarino já foram bonitas

BIANCA GARCIA

No centro de Itaguaí, as praças Barão de Teffé e Vicente Cicarino são o reflexo do mau estado e má conservação da “Cidade Inteligente”. Apesar dos constantes questionamentos do ATUAL sobre projetos de revitalização da prefeitura, não há qualquer movimentação para o fim da palidez de ambos os espaços públicos. Diferentes das tradicionais – que geralmente possuem parquinhos e funcionam como fonte de lazer para crianças, seus responsáveis e idosos -, essas duas praças de Itaguaí não possuem brinquedos, mesas e quase nem têm bancos. As praças Barão de Teffé e Vicente Cicarino já foram bonitas em outros governos, mas na gestão de Luciano Mota (PSDB) continuam abandonadas e sem muitas atrações – salvo a passagem dos transeuntes, a movimentação proveniente do camelódromo e dos estabelecimentos comerciais ou mesmo as manifestações contra o governo Mota. Durante gestão do ex-prefeito José Sagário, a praça Barão de Teffé, além de ser bastante arborizada, era mais aconchegante. Ao estilo interiorano, os bancos da praça (até com encosto para as costas) eram acompanhados de postes tipo luminárias. O busto do Barão estava em seu devido lugar e não havia imperfeições no chão e na calçada. Hoje, a praça Barão de Teffé é bem menos arborizada, não possui o busto do Barão nem bancos com encostos e tem uma aparência esquisita devido à ausência (quase total) da grama e canos soltos (foto abaixo) na área onde as árvores foram plantadas.

Para ter acesso à reportagem completa, assine a edição digital ou impressa do Jornal ATUAL.
Confira também nas bancas de toda região.

Sem solução urbanística, praças Vicente Cicarino e Barão de Teffé já viveram dias melhores (Foto Bianca Garcia)

Sem solução urbanística, praças Vicente Cicarino e Barão de Teffé já viveram dias melhores (Foto Bianca Garcia)

 

Deixe um comentário

Você precisa estar Logado para comentar.