Sem lixeiras e sem calçadas dignas: Expo foi prioridade para prefeitura de Itaguaí

julho 10, 2014 Nenhum Comentário »

Estrutura urbanística que se preze evidentemente não é característica de Itaguaí. Perceber o fato é fácil, basta ir às ruas e olhar para o chão: calçadas em estado crítico. Elas estão esburacadas e fora das medidas padrão. Como se não fosse o bastante, juntamente com as ruas, elas estão sujas, porque lixeiras também não existem. O governo municipal anunciou no princípio do mês passado uma reforma em calçadas de diversos bairros da cidade. O projeto, conforme informou a Secretaria Municipal de Comunicação (Secom), tem valor que se aproxima dos R$ 9 milhões. Ainda segundo a Secom, os novos passeios serão adequados com rampas de acesso a portadores de necessidades e pisos táteis. Porém, até o momento, sequer sinais da execução surgiram. Em matéria publicada em edição de maio, a reportagem foi às ruas e mediu algumas calçadas. Num determinado trecho da rua Amélia Louzada, no centro, a calçada possui absurdos 38 centímetros. Ao transeunte, resta dividir a rua com os veículos e torcer para não sofrer um atropelamento. Já quanto às lixeiras, em todas as vezes que o ATUAL abordou a questão, a prefeitura optou pelo silêncio. Para o itaguaiense, exercer a cidadania é um desafio.  Em vias como o calçadão, lixeiras não existem. Em outras vias do centro igualmente movimentadas, anda-se por metros para, com sorte, encontrar alguma. Cidadãos educados e que guardam consigo o lixo até encontrar uma lixeira são raros. O resultado é a poluição visual, bueiros entupidos, risco de doenças e garis sobrecarregados.

Para ter acesso à reportagem completa, assine a edição digital ou impressa do Jornal ATUAL.
Confira também nas bancas de toda região.

Vias esburacadas e sem lixeiras: cenário é de caos nas ruas de Itaguaí. (Foto Ramon Cesar)

Vias esburacadas e sem lixeiras: cenário é de caos nas ruas de Itaguaí. (Foto Ramon Cesar)

Deixe um comentário

Você precisa estar Logado para comentar.