Servidores encaram adiamento do plano como manobra

junho 17, 2014 Nenhum Comentário »

Ato pacífico na Câmara, agendamento de nova assembleia e rumores de possibilidade de greve em julho marcaram reunião desta segunda-feira

BIANCA GARCIA

Na tarde de ontem (16), o Sindicato Estadual de Profissionais de Educação (SEPE) e cerca de 50 servidores da rede municipal de ensino reuniram-se em mais uma assembleia de acompanhamento para discutir a situação da aprovação pendente do Plano de Cargos e Salários. Após atualização da categoria quanto às recorrentes reuniões, duas decisões: ato silencioso e pacífico na Câmara Municipal na sessão da próxima terça (24) e agendamento de nova assembleia para o dia 17 de julho. Durante assembleia discutiu-se também o adiamento do Plano pela Casa Legislativa. De acordo com a direção do Sepe, ontem, ainda antes da assembleia, a procuradora Edna Ferreira enviou as “sugestões de alterações do Plano de Cargos e Salários da Educação” para os vereadores, que as encaminharam para o sindicato. Para muitos, porém, as sugestões não fazem sentido. “Não enxerguei a inconstitucionalidade, visto que a proposta do plano não condiz com este documento”, disse a professora Joveniana Pereira, que é também advogada. Outra professora, que preferiu não se identificar, acrescentou: “É a manobra mais ridícula que eles poderiam ter feito”.

Para ter acesso à reportagem completa, assine a edição digital ou impressa do Jornal ATUAL.
Confira também nas bancas de toda região.

Em assembleia, categoria da educação vota por ato pacífico na sessão da Câmara Municipal e por nova assembleia no dia 17 de julho, dois dias após a volta às aulas (Foto Bianca Garcia)

Em assembleia, categoria da educação vota por ato pacífico na sessão da Câmara Municipal e por nova assembleia no dia 17 de julho, dois dias após a volta às aulas (Foto Bianca Garcia)

Deixe um comentário

Você precisa estar Logado para comentar.