Plano só na semana que vem

junho 4, 2014 Nenhum Comentário »

Maioria dos vereadores aprovou adiamento da votação do Plano de Cargos e Salários e revoltou a categoria

Foi bastante tumultuada a sessão legislativa de ontem (terça, 3). Não era para menos: criou-se grande expectativa acerca do final mais ou menos feliz que a categoria da educação esperava no que diz respeito ao Plano de Cargos e Salários. Mas não foi dessa vez. Dos 16 vereadores (o presidente não vota), 14 deles rejeitaram o pedido relativo ao interstício (dispensa da votação em três sessões ordinárias) feito pelo vereador Willian Cezar (PT). Apenas o petista e o vereador Jailson Barboza (PRP) votaram a favor do pedido a fim de que a lei que traz o Plano de Cargos e Salários fosse aprovada ainda naquela sessão. Com o revés, a categoria vai precisar esperar ao menos uma semana para talvez ver o fim de uma novela que se arrasta há meses. Quem encabeçou a negativa da realização da votação foi o vereador Silas Cabral (PV), que recebeu sonoras vaias da plateia, composta em grande número de professores da rede municipal de ensino. A sessão se tornou ainda mais surpreendente depois que o presidente da Câmara, Nisan César (PSD), revelou os bastidores da confusa articulação que a prefeitura – por intermédio de Silas, da Procuradora-geral Edna Ferreira e do secretário de Administração Fuad Zamot – montou para adiar a votação do plano (leia box à direita). Com a votação do Plano emperrada, vários representantes da categoria da Educação – indignados com a frustrante sessão legislativa – protestaram dentro e fora da Câmara.

Para ter acesso à reportagem completa, assine a edição digital ou impressa do Jornal ATUAL.
Confira também nas bancas de toda região.

Profissional da educação vocifera contra contra vereadores que aprovaram adiamento da votação do Plano (Welington Campos)

Profissional da educação vocifera contra contra vereadores que aprovaram adiamento da votação do Plano (Welington Campos)

Deixe um comentário

Você precisa estar Logado para comentar.