Uma guerra vermelha no PT com prefeito tucano no meio

maio 28, 2014 Nenhum Comentário »

Dissidentes garantem que apoio a prefeito Luciano Mota foi fruto de manobra e conclamam para manifesto

JUPY JUNIOR

Existe uma guerra interna no Partido dos Trabalhadores de Itaguaí desde que o prefeito Luciano Mota assumiu a cadeira de prefeito da cidade. Ela tem como elementos uma intrincada matemática, um vice-prefeito que rompeu com o prefeito há alguns meses, a ex-presidente do PT que tornou-se secretária de Agricultura em abril do ano passado e alguns cargos – no próprio PT, na Câmara e na prefeitura. Parecem elementos demais para que se crie uma história coesa. De fato, chegar ao cerne da questão que dinamiza a política petista é uma tarefa das mais árduas. Os vermelhos não se entendem: esta é a conclusão mais direta a que se pode chegar. Mesmo que fique difícil (ou mesmo inútil) definir quem afinal tem razão ou não, há argumentos de sobra, poucas evidências e uma constatação: não está perto de chegar a um fim os desentendimentos entre os petistas da cidade.

Para ter acesso à reportagem completa, assine a edição digital ou impressa do Jornal ATUAL.
Confira também nas bancas de toda região.

O Diretório do PT é o quartel general da ala do partido que hoje está, sob críticas, aliada à administração de Mota (Arquivo ATUAL)

O Diretório do PT é o quartel general da ala do partido que hoje está, sob críticas, aliada à administração de Mota (Arquivo ATUAL)

Deixe um comentário

Você precisa estar Logado para comentar.