Funcionalismo público de Itaguaí: a conta que não fecha

maio 15, 2014 Nenhum Comentário »

Governo Mota avisa que vai cortar gratificações e causa comoção entre servidores. Motivo: inchaço na folha de pagamento, que em três meses de 2014 já ultrapassou os limites impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal

Segundo uma fonte da prefeitura, o clima nos corredores do Palácio Barão de Teffé (sede do governo municipal) e nos demais prédio públicos ontem (quarta, 14) era de comoção: servidores fazendo contas, recalculando empréstimos e houve até quem estivesse chorando. Algo estranho no dia em que a prefeitura, via nota oficial, havia anunciado, em um primeiro momento, reajuste salarial. Depois a Secretaria de Comunicação enviou uma errata à imprensa mudando o termo “reajuste” para “recomposição”. A justificativa: a lei 2102 (artigo 62), de 2000. A reportagem buscou tal lei na internet e não a encontrou. Mas pouco importa. A lei que realmente importa é 101/2000, conhecida como Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Nos três primeiros meses de 2014 o governo do tucano Luciano Mota não cumpriu a LRF, segundo dados que o ATUAL obteve com exclusividade.

Para ter acesso à reportagem completa, assine a edição digital ou impressa do Jornal ATUAL.
Confira também nas bancas de toda região.

PALÁCIO BARÃO DE TEFFÉ:  governo tem dificuldades em equilibrar a folha de pagamento (Arquivo ATUAL)

PALÁCIO BARÃO DE TEFFÉ: governo tem dificuldades em equilibrar a folha de pagamento (Arquivo ATUAL)

Deixe um comentário

Você precisa estar Logado para comentar.