“A população de botos-cinza corre sérios riscos de extinção”

abril 25, 2014 Nenhum Comentário »

Fundador do Instituto Boto Cinza conversa com o ATUAL sobre a realidade da espécie em Mangaratiba

JULIANA TORRES

A maior concentração de botos-cinza fica na área da Baía de Sepetiba: são mais de mil animais. Tanto na entrada como na saída, é possível observar grupos com mais de 100 golfinhos, que se localizam nos arredores da Ilha de Jaguanum, em Itacuruçá, distrito de Mangaratiba. E é nesta cidade que fica a sede de um dos maiores projetos de pesquisa e conservação da espécie: O Instituto Boto Cinza. Apaixonado por cetáceos desde o tempo da faculdade, o biólogo Leonardo Flach, fundador da ONG, luta em prol da conservação e preservação dos botos-cinza. O ATUAL conversou com ele para saber como funciona o projeto e qual a situação destes animais diante dos grandiosos empreendimentos na região.

Para ter acesso à reportagem completa, assine a edição digital ou impressa do Jornal ATUAL.
Confira também nas bancas de toda região.

Segundo Flach, os empreendimentos aumentam as áreas de exclusão de pesca ou realocam esta atividade para as áreas de ocorrência dos botos (Bianca Garcia)

Flach: os empreendimentos aumentam as áreas de exclusão de pesca ou realocam esta atividade para as áreas de ocorrência dos botos (Bianca Garcia)

Deixe um comentário

Você precisa estar Logado para comentar.