Loading...
Sep 23, 2018 Last Updated 2:58 PM, Sep 21, 2018

Força-tarefa do estado intensifica ações contra o feminicídio

NAS DELEGACIAS de polícia os casos de feminicídio são agora contemplados nos registros de ocorrência NAS DELEGACIAS de polícia os casos de feminicídio são agora contemplados nos registros de ocorrência FOTO CLARICE CASTRO
Publicado em Polícia
Ler 1769 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Vítimas podem buscar ajuda e assistência em programas da Subsecretaria de Políticas para Mulheres

 

PROTEÇÃO O estado do Rio está fortalecendo as ações de proteção à mulher a partir da implantação da Lei Estadual nº 7.448, de 2016, que criou o subtítulo feminicídio nos registros de ocorrência da Polícia Civil, para os casos de homicídio contra a mulher. Segundo o Governo do Estado, atualmente, o Rio tem 14 Delegacias Especiais de Atendimento à Mulher (Deams), além de diversos serviços oferecidos pela Secretaria de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos (SEDHMI), que prestam apoio às vítimas.

A partir da lei, já é possível realizar mapeamento deste tipo de violência. Segundo dados do Instituto de Segurança Pública, de novembro de 2016 a novembro de 2017 ocorreram 76 assassinatos de mulheres por motivo de gênero no estado. Os registros apontam também 268 tentativas do mesmo delito.

A SEDHMI informa que através da Subsecretaria de Políticas para Mulheres prestou, em 2017, assistências jurídica e psicossocial a mais de três mil pessoas, com o projeto do Ônibus Lilás, veículo que percorre o estado com equipe especializada de apoio às vítimas de violência. “Muitas vezes, as mulheres sofrem agressões dentro de casa, cometidas pelos companheiros ou pessoas próximas. Elas têm medo de denunciar, sentem-se coagidas e, em alguns casos, desamparadas. Nossas ações oferecem apoio às vítimas no sentido de amparar a mulher que denuncia o agressor”, explica o titular da SEDHMI, secretário Átila Alexandre Nunes.

A SEDHMI conta também com os centros de atendimento à mulher Márcia Lyra, no Rio de Janeiro; Baixada, em Nova Iguaçu; e Queimados, também na Baixada. Até o fim de janeiro, será reaberta a Casa da Mulher de Manguinhos. Todos os locais oferecem atendimento a vítimas de violência, garantindo acompanhamentos psicológico, social e jurídico, além de orientação e informação. As vítimas podem denunciar e pedir ajuda através do Disque Mulher (21) 2332-8249, que funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.