Jan 18, 2018 Last Updated 1:35 PM, Jan 18, 2018

Destaques

Nova lei prevê benefícios para…

Os contribuintes poderão aderir ao Programa de Regularização Rural até dia 28 de...

Seropédica qualifica servidore…

Curso foca em planejamento ambiental participativo, na importância da fiscalizaç...

Boato: Cadastramento biométric…

A procura pela biometria aumentou 50% em relação ao mesmo período do ano passado...

Criminosos invadem escola e alunos se abrigam em corredor

  Crianças ficaram abrigadas no corredor durante invasão Crianças ficaram abrigadas no corredor durante invasão FOTO REPRODUÇÃO/OTT-RJ
Publicado em Polícia
Ler 3299 vezes
Avalie este item
(0 votos)

VIOLÊNCIA Criminosos armados invadiram uma escola em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio, na manhã da última quarta-feira (5). De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, a Escola Municipal Mestre Waldemiro foi utilizada como rota de fuga de criminosos que estavam em confronto com a polícia no Morro da Mangueira, na Zona Norte. Por causa da invasão, alunos e funcionários ficaram abrigados abaixados nos corredores do colégio. Apesar do ocorrido, o colégio, que atende 429 alunos em turno único, não teve seu funcionamento suspenso.

"A Secretaria esclarece também que o espaço foi vistoriado por policiais militares que não encontraram outras pessoas no interior da escola", diz a nota.

Outras duas escolas, na mesma região da Mangueira, interromperam o funcionamento aos seus 793 alunos do turno da tarde e Educação de Jovens e Adultos. Dezenas de estudantes foram impedidos de deixar as escolas da região no horário de saída. Equipes dos batalhões de Operações Especiais (Bope), de Choque (BPChq) e de Ações com Cães (BAC) fizeram uma operação na comunidade, desde o início da manhã. A PM ainda não informou o balanço da operação. Os agentes do BPChq estavam em todos os acessos à comunidade, na parte baixa do morro. Já as equipes do Bope e do BAC encontravam-se na parte alta.

Em alguns dos acessos à Mangueira os PMs encontraram barreiras colocadas pelo tráfico, como pedaços de trilhos e barras de ferro chumbadas. O morro conta com uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) desde 3 de novembro de 2011.