Feb 25, 2018 Last Updated 2:51 PM, Feb 23, 2018

Destaques

Plano Estratégico do Turismo d…

Trabalho é importante para o desenvolvimento do turismo em cidades da região, en...

Conselho de Desenvolvimento Ru…

ENCONTRO- Agricultores de Mangaratiba participaram na quarta-feira (21) da 2° Re...

Mangaratiba intensifica combat…

PREVENÇÃO- A Secretaria Municipal de Saúde de Mangaratiba (SMSM) anunciou ontem ...

Sepe afirma que não é autor de ação contra contratação

Publicado em Poder
Ler 5168 vezes
Avalie este item
(0 votos)

ATAQUES Depois do cancelamento do processo seletivo que atraiu milhares de pessoas para filas gigantescas mostradas em rede nacional e da primeira derrota do prefeito Carlo Busatto Junior, o Charlinho (PMDB), ataques começaram a ser proferidos pela cidade, por meio de redes sociais. Assim como o vereador Willian Cezar (PSB), o Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe / Itaguaí) também foi responsabilizado pela não continuidade do processo para contratação de pessoal.

Dilceia Norberto
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Um áudio que teria sido divulgado pela Liga Internacional de Assistência aos Direitos Humanos (Liadh) faz uma convocação geral dos inscritos no processo para uma manifestação pacífica no dia 21, na Câmara de Vereadores. A convocação usa argumentos mentirosos quando afirma que os inscritos e os alunos da rede municipal foram prejudicados por conta de uma ação movida por Willian Cezar e pelo Sepe.

Em entrevista ao ATUAL, o Sepe fez questão de esclarecer que a convocação e a incitação contra o órgão é uma irresponsabilidade, já que o sindicato não é autor da ação. “O Sepe apenas protocolou um pedido de participação na audiência, considerando o interesse da categoria. A desembargadora levou em conta a ação do Ministério Público e ela entendeu que não deveria haver contratação. O Sepe não tem ação nesse sentido. Nós temos ação relacionada aos pagamentos atrasados, mas não sobre o processo seletivo”, esclareceu a coordenadora geral do Sepe, Dulce Figueira.

Dulce também destacou que o Sepe defende o concurso público, como estabelece a Constituição Brasileira. “Que fique bem claro para a população de Itaguaí que a decisão da desembargadora é oriunda de uma ação do MP”, concluiu Dulce.