Loading...
Apr 22, 2018 Last Updated 4:35 PM, Apr 20, 2018

Delegado descarta falha mecânica de acidente em Angra dos Reis

Acidente ocorreu no dia 30, quando a lancha atropelou as vítimas que nadavam na Lagoa Azul Acidente ocorreu no dia 30, quando a lancha atropelou as vítimas que nadavam na Lagoa Azul FOTO  GLOBO NEWS/REPRODUÇÃO
Publicado em Polícia
Ler 372 vezes
Avalie este item
(0 votos)

O titular da 166ª DP, Bruno Gilaberte, disse ainda que o marinheiro e o proprietário da embarcação serão intimados para novos depoimentos

INVESTIGAÇÃO O delegado titular da 166ª DP (Angra dos Reis), Bruno Gilaberte, informou que o laudo pericial preliminar, descartou a versão apresentada pelo condutor João Thiago Magalhães, de 35 anos, afirmando que o acidente envolvendo uma lancha conduzida por ele, que matou duas pessoas e feriu outras duas, teria sido provocado por falha mecânica na embarcação.

O acidente ocorreu na última sexta-feira (30), quando a lancha atropelou as vítimas que nadavam na Lagoa Azul, na Ilha Grande, em Angra dos Reis.  O marinheiro, ao depor, disse que a embarcação apresentou problemas no acelerador. “Após a informação do perito constatando que não houve falha mecânica, a linha de investigação tende, agora, para imperícia”, disse Gilaberte, ressaltando que, mesmo com a versão do marinheiro descartada, o suspeito continua indiciado por duplo homicídio culposo e por dupla lesão corporal culposa, quando não há intenção de matar ou agredir alguém.  Ele responde ao inquérito policial em liberdade, após pagar uma fiança de R$ 2 mil.

O delegado disse ainda que o marinheiro e o proprietário da embarcação serão intimados para novos depoimentos. A polícia verifica, nesta etapa das investigações, se a lancha poderia estar naquele local (Lagoa Azul) e naquele momento. Os depoimentos e os laudos pericial e médico oficiais, serão anexados ao inquérito policial, a fim de concluir as investigações e remeter o procedimento à Justiça de Angra dos Reis. “Vamos verificar se havia restrição à navegação de embarcações naquele momento, se havia ainda restrição por causa do tamanho da embarcação e se foi desrespeitada a distância entre o local destinado à banhistas. Caso se comprovem essas suspeitas, o proprietário da lancha, que autorizou a saída do veículo, também continua sendo responsabilidade pelo acidente”, disse o delegado.

VÍTIMAS

No acidente morreram Alexandre da Silva Leite, de 43 anos, morador do Rio de Janeiro, e Walquíria de Almeida Barros, de 29 anos, de São Paulo. As duas sobreviventes, Camila Precoma, de 30 anos, que teve um dedo do pé amputado e Natacha Oliveira, 27, que também perdeu um dos dedos dos pés, tiveram alta nesta quarta-feira (4), do Hospital da Vila Industrial, em São José dos Campos (SP), onde estavam internadas. Além das amputações, as turistas tiveram ferimentos pelo corpo.