Loading...
Aug 18, 2018 Last Updated 2:58 PM, Aug 17, 2018

Estado paga pendentes de RAS e Proeis nesta sexta-feira

“A PM aumentará a ostensividade em áreas de mancha criminal elevada”, disse Pezão “A PM aumentará a ostensividade em áreas de mancha criminal elevada”, disse Pezão FOTO DIVULGAÇÃO/GOVERNO DO RIO
Publicado em Polícia
Ler 1350 vezes
Avalie este item
(0 votos)

 Pezão libera R$ 8 milhões por mês para pagamento de horas extras e reforço de até dois mil policiais nas ruas

SEGURANÇA- O governador Luiz Fernando Pezão anunciou que o Estado pagará, nesta sexta-feira (09/02), R$ 13.819.300,64 pendentes do Regime Adicional de Serviço (RAS) e R$ 8.456.325,57 restantes do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis) das polícias Civil e Militar. Já as gratificações referentes ao Sistema Integrado de Metas (SIM), num valor total de R$ 76.982.476,84, serão depositadas em quatro parcelas, sempre no fim no mês, a partir de fevereiro.

Pezão autorizou também a retomada do pagamento de horas extras feitas por policiais, o RAS, e do SIM. Serão liberados R$ 8 milhões por mês para o RAS e, com isso, o policiamento ostensivo poderá contar com o reforço de 1,5 mil a 2 mil policiais nas ruas por dia. “Com o Regime de Recuperação Fiscal, o Estado está retomando o seu equilíbrio financeiro. Vamos pagar essas gratificações para profissionais de uma área tão fundamental para o Rio de Janeiro e garantir mais policiamento nas ruas”, destacou o governador, após se reunir na tarde de hoje, no Palácio Guanabara, com o secretário de Segurança, Roberto Sá.

“A Polícia Militar aumentará a ostensividade, colocando mais policiais em áreas de mancha criminal elevada e, no caso da Polícia Civil, direcionando ainda mais recursos para investigações criminais. Vamos agilizar o processo operacional para que o reforço policial aconteça já nos próximos dias”, afirmou o secretário.

 Durante a reunião, Pezão e Roberto Sá aprovaram o plano do Governo Federal para o Rio de Janeiro. O secretário destacou que as ações já vêm sendo executadas pelas forças estaduais e federais desde agosto do ano passado.