Loading...
Apr 22, 2018 Last Updated 4:35 PM, Apr 20, 2018

Operação Lei Seca vai intensificar as ações nas festas de fim de ano

Além da capital e região metropolitana, a Lei Seca também promoverá ações no interior do Estado Além da capital e região metropolitana, a Lei Seca também promoverá ações no interior do Estado FOTO REPRODUÇÃO
Publicado em Polícia
Ler 1080 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Este ano a operação conta com câmeras como aliada nas abordagens

A Operação Lei Seca vai intensificar as ações devido as festas de final de ano. Todo o efetivo, que conta com 250 agentes, foi mobilizado a partir de sexta-feira (22). No total, serão realizadas 98 operações no período do Natal e do Réveillon. Além da capital e região metropolitana, a Lei Seca também promoverá ações no interior do Estado.

Nos dias 22, 23, 24 e 25 e 29, 30, 31 de dezembro e 1º de janeiro, também ocorrerão ações educativas com agentes cadeirantes da Operação Lei Seca. Eles percorrerão regiões importantes da cidade como rodoviária, bares, praças de pedágio e locais turísticos como a praia de Copacabana, a Lagoa Rodrigo de Freitas e a Lapa para alertar a população sobre os riscos da mistura do álcool com direção. Por onde passam, os agentes reforçam a mensagem da operação “Nunca dirija depois de beber”.

A circulação de pessoas e o trânsito neste período de festas são intensos. Segundo o coordenador da Operação Lei Seca, tenente-coronel Marco Andrade, as equipes atuarão nas regiões de maior fluxo de veículos em todo o Estado.

“A chegada do fim de ano é um bom momento para refletir sobre nossas atitudes. Além de um problema de saúde pública, a segurança no trânsito é responsabilidade de todos, e, neste sentido, o Rio de Janeiro vem dando bons exemplos ao País”, disse o coronel Marco.

O número de pessoas flagradas alcoolizadas no volante reduziu 43% desde que a operação Lei Seca foi iniciada, no ano de 2009.

CÂMERAS ALIADAS

As filmagens auxiliam o trabalho dos agentes e dão transparência às ações. Desde meados de agosto a Operação Lei Seca vem contando com a tecnologia como aliada para dar ainda mais transparência às abordagens. Cerca de 50 câmeras, distribuídas por nove equipes, filmam todas as ações realizadas durante as blitzes. As imagens geradas são monitoradas, em tempo real, por uma Central 24 horas que funciona no prédio Anexo do Palácio Guanabara.

As câmeras de pequeno porte ficam acopladas ao colete dos policiais e uma outra, um pouco maior, monitora toda a movimentação na tenda, onde os documentos do motorista abordado são checados e onde é realizado o teste com o bafômetro. As câmeras captam o áudio interno e externo da tenda.

 

Todas as câmeras possuem um chip 4G e um mapa de localização, que permite que as imagens sejam monitoradas, não somente pela Central de Monitoramento, mas pelo coordenador da Operação, através de site na internet. As câmeras são resistentes à água, à queda e também são blindadas.