Loading...
Sep 20, 2018 Last Updated 7:44 PM, Sep 19, 2018

Divulgação de notícias falsas por políticos pode ocasionar cassação de mandato

Publicado em Poder
Ler 198 vezes
Avalie este item
(0 votos)

FISCALIZAÇÃO O secretário-geral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Carlos Frazão, afirmou que a lei brasileira permite a cassação de mandato se for comprovado envolvimento do político na disseminação de informações falsas, as chamadas fake news. Ele participou de seminário organizado em junho pela Câmara dos Deputados para discutir boas práticas e condutas de agentes públicos em ano eleitoral. “A partir do momento que se descubra que o político contratou serviço de produção industrial de notícias fraudulentas, uso de boots, para divulgar esses conteúdos, ele pode ser punido. Se ficar devidamente comprovado, nos autos, a existência disso, é possível utilizar a Lei Complementar 64/90 e proceder à cassação de seu mandato. E aí consequentemente, nos termos da legislação, far-se-ão novas eleições”, explicou.

Carlos Frazão informou que o TSE vai fazer o controle de conteúdo de informações falsas, como já vem fazendo com as notícias reconhecidamente inverídicas. Nesse sentido, ele citou a recente decisão do ministro do TSE, Sérgio Banhos, que determinou a retirada do ar de notícias apontadas como falsas sobre a presidenciável Marina Silva, da Rede Sustentabilidade.

Sobre condutas vedadas a agentes públicos, Rafael do Valle, que dirige o Departamento Eleitoral da Advocacia-Geral da União, lembrou de dúvida de uma funcionária sobre o uso da máquina pública para campanha. “Em uma palestra, ela levantou a mão e falou: ‘OK, entendi que a gente não pode usar, por exemplo, um computador dentro da repartição para divulgar e fazer campanha de um candidato. Mas eu posso utilizar a rede wi-fi do celular do ministério para fazer campanha’”, relatou Valle o questionamento da servidora. “Em resposta, dei uma risada e falei que recomendo o uso do 3G porque a gente tem de ser bastante cauteloso. Temos de ter em mente que não podemos utilizar a máquina pública em nenhuma das esferas”, acrescentou ele.

O TSE firmou em junho um acordo com o Facebook e o Google contra a disseminação de notícias falsas nas próximas eleições. No documento, as empresas se comprometem a combater a desinformação gerada por terceiros.

Últimas Notícias

Escolas estaduais que pedem socorro

Estruturas físicas debilitadas pela ação... (leia mais)

Tragédia anunciada em Seropédica

Imbróglio judicial entre a Comlurb... (leia mais)

Mangaratiba recebe palestra gratuita sobre neurovendas

Inscrições estão abertas para atividade... (leia mais)

Escola de Seropédica promove projeto literário

EDUCAÇÃO O Projeto Chá Literário... (leia mais)