Loading...
Jul 19, 2018 Last Updated 12:59 PM, Jul 18, 2018

Servidores pedem a saída de Charlinho

Publicado em Poder
Ler 343 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Manifestantes pedem o impeachment do prefeito durante ato realizado na segunda-feira. Requerimentos foram protocolados no MP e na Câmara Municipal

 MANIFESTAÇÃO A semana começou mal para o prefeito Carlo Busatto Junior, o Charlinho, que tem visto seu nome constantemente na mídia pelo descaso com o município. Dezenas de pessoas foram às ruas na tarde desta segunda-feira (9), em um ato público, para pedir a saída do prefeito de Itaguaí.  

Representantes do Movimento Unificado dos Servidores Público de Itaguaí (Muspi) e moradores reclamaram da falta de investimentos no município. Como se sabe, o governo alega crise financeira, mas faz pouco caso com a saúde e a educação que estão sucateadas.  Faltam médicos e material no único hospital da cidade, a UPA da cidade está fechada há quase dois anos, houve tentativa de fechamento de escolas municipais e postos de saúde.

Recentemente o prefeito estava na Rússia assistindo o jogo do Brasil, na Copa do Mundo, ao lado de sua esposa, a secretária de Educação Andréia Busatto. 

Na manifestação, que percorreu as principais ruas de Itaguaí, os servidores gritavam palavras de ordem contra o prefeito. Em frente à Câmara Municipal, o grupo cobrava dos vereadores uma ação mais enérgica em benefício da população. “Essa é a pior vergonha da cidade. Prefeito, temos apenas um. Vereadores temos 17”, bradou um dos manifestantes que pedia o impeachment do chefe do Poder Executivo.

Após as cobranças nas grandes mídias sobre o descaso com o município, o prefeito Charlinho ainda não foi a público para dar uma resposta à população. Flagrado acompanhando a Copa da Rússia, o prefeito só apareceu em público durante a solenidade de aniversário da cidade no último dia (5), na Câmara de Vereadores.

Depois da decisão da Justiça, de suspender pagamentos destinados à Expo Itaguaí 2018, o prefeito Charlinho tentou esconder a sua indignação ao ser visto sorrindo durante a solenidade na Câmara Municipal. Porém, ele se recusou a falar com a imprensa. 

PEDIDOS DE AFASTAMENTO

Também na segunda-feira, a servidora e colaborador do Muspi, Hellen Oliveira Senna, protocolou dois requerimentos pedindo o afastamento do prefeito Charlinho. O primeiro requerimento, protocolado no Ministério Público (MP), questiona se houve improbidade administrativa, por parte do prefeito, enquanto ele estava ausente. O documento pede ainda a apresentação do passaporte do prefeito e de sua mulher, a secretária de Educação e Cultura, Andréia Cristina Marcelo Busatto para que se investigue quantos dias consecutivos eles ficaram fora do país.

O segundo requerimento, protocolado na Câmara Municipal de Itaguaí (CMI), solicita a Casa a instalação de uma Comissão Processante em face aos desmandos do prefeito Carlo Busatto Júnior.   

Em entrevista ao ATUAL, um das colaboradoras do MUSPI, Cristiane Gerard Neves disse que o movimento é aberto a todos aqueles que quiserem lutar por uma cidade melhor. Sobre as denúncias feitas, o movimento espera que haja justiça e que Itaguaí tenha um executivo que assuma suas funções com responsabilidade.

 PROCESSO DO CHARLINHO VOLTA A ANDAR

Condenado a 14 anos e oito meses de prisão, no dia 30 de novembro de 2016, pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região, pelos crimes de fraude em licitação, corrupção passiva e associação criminosa, o prefeito de Itaguaí Carlo Busatto Junior, teve seu processo em andamento.

O recurso, que está na esfera da segunda instância, chamado de embargos de infringentes, estava desde o dia 22 de fevereiro com a relatora do processo, desembargadora federal Simone Schreiber, foi encaminhado no último dia 3 para o revisor do processo, desembargador federal Marcello Granado, que já recebeu o relatório.

A primeira condenação de Charlinho foi dada pelo Juízo da 2ª Vara Criminal do Rio era de 16 anos e dois meses de reclusão em regime fechado. O prefeito recorreu ao tribunal Regional Federal que, em 2016, consideraram Charlinho culpado por crimes na compra superfaturada de ambulâncias. Os crimes aconteceram quando ainda era prefeito de Mangaratiba e teria, de acordo com o Ministério Público, continuado em Itaguaí a fraudar licitações, superfaturar preços, além de omitir publicações na imprensa oficial e exigir marcas específicas de veículos em troca de propina para a aquisição das ambulâncias.

Mais Poder

Justiça determina prisão preventiva de Luciano Mota

 Ex-diretor de Informática também tem... (leia mais)

Vereador relata mais um descaso na saúde de Itaguaí

Willian Cezar oficializou denúncia crime... (leia mais)

Congresso aprova diretrizes orçamentárias para 2019

Dispositivo que proibia reajuste salarial... (leia mais)

Últimas Notícias

Mangaratiba vai ganhar unidade do Sine-RJ

 Prefeitura e Estado selam acordo... (leia mais)

Alunos do EJA participam de formatura em Seropédica

SOLENIDADE A Escola Municipal Ronald... (leia mais)

Seropédica promove arraiá para idosos

EVENTO As festividades juninas ainda... (leia mais)

Sinal de TV digital mais próximo de Mangaratiba

Beneficiários de programas sociais já... (leia mais)

Vagas para pessoas com deficiência em Mangaratiba

OPORTUNIDADE O Balcão de Empregos... (leia mais)