Loading...
Sep 21, 2018 Last Updated 8:27 PM, Sep 20, 2018

Processo do Charlinho na “sanguessuga” sai da gaveta, finalmente!

Publicado em Poder
Ler 4386 vezes
Avalie este item
(1 Votar)

Na semana em que o prefeito foi alvo de seguidas reportagens negativas nas principais emissoras de TVs do estado, desembargadora resolve colocar o processo para andar

Condenado a 14 anos e oito meses de prisão, no dia 30 de novembro de 2016, pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região, pelos crimes de fraude em licitação, corrupção passiva e associação criminosa, o prefeito de Itaguaí Carlo Busatto Junior, o Charlinho, se viu mais próximo da cadeia nesta semana.

O recurso, que esta na esfera da segunda instância, chamado de embargos de infringentes, estava desde o dia 22 de fevereiro com a relatora do processo, desembargadora federal Simone Schreiber, foi encaminhado nesta terça (3) para o revisor do processo, desembargador federal Marcello Granado, que já recebeu o relatório nesta quinta (5).

Coincidentemente, o andamento do recurso acontece justamente quando, diariamente, emissoras de TVs vêm mostrando as mazelas de que a cidade é vítima, bem como um vídeo que gerou mal estar na população, em que ele Charlinho aparece ao lado da esposa e secretária de Educação e Cultura, Andréia Cristina Marcello Busatto, curtindo um jogo do Brasil na Copa da Rússia.

 RELEMBRE O CASO

A primeira condenação de Charlinho foi dada pelo Juízo da 2ª Vara Criminal do Rio era de 16 anos e dois meses de reclusão em regime fechado. O prefeito recorreu ao tribunal Regional Federal que, em 2016, consideraram Charlinho culpado por crimes na compra superfaturada de ambulâncias, conhecido como “Máfia das Sanguessugas”, reduzindo a pena para 14 anos e oito meses. Os crimes aconteceram quando ainda era prefeito de Mangaratiba e teria, segundo Ministério Público, continuado em Itaguaí a fraudar licitações, superfaturar preços, além de omitir publicações na imprensa oficial e exigir marcas específicas de veículos em troca de propina para a aquisição das ambulâncias.