Loading...
Jun 22, 2018 Last Updated 1:47 PM, Jun 21, 2018

Novas cobranças ao Executivo em Itaguaí

Publicado em Poder
Ler 626 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Vereadores cobram ações nas áreas de educação, saúde e conservação, mas líder do governo volta a falar em herança maldita

 PROBLEMAS- Na segunda sessão ordinária da Câmara Municipal de Itaguaí, realizada na noite de ontem (20), vereadores do grupo suprapartidário pontuaram uma série de problemas encontrados no município e que não estariam recebendo a devida atenção por parte do Executivo. Puxando a fila das críticas estava o vereador Genildo Gandra (PDT). O pedetista pediu melhorias nas escolas, que estão, segundo ele, sem condições de serem usadas. Ele também cobrou mais atenção à saúde, citando a má conservação de duas ambulâncias que servem ao município. Fazendo coro ao colega de oposição, o vereador André Amorim (PR) ressaltou que um levantamento feito pelo seu gabinete apontou que o último licenciamento da ambulância do município foi feito em 2015. “Ela não pode rodar em lugar algum, porque não tem o licenciamento em dia”, acentuou. Para reforçar a denúncia sobre a prioridade enviesada do governo, Amorim citou que o licenciamento da Amarok do secretário de transportes, por exemplo, está em dia.

Em resposta, Genildo conclamou os colegas a se mobilizarem para pressionar o governo a trabalhar. “Que nós, vereadores, possamos sensibilizar o governo a trabalhar este ano”, disse o vereador.

Mais adiante, o vereador André Amorim voltou suas baterias para a situação das escolas, informando que vistoriou a quadra da Escola José Galliaço Prata, que sofreu recentemente uma séria avaria. Além desse problema, André Amorim relatou que os extintores estão vencidos e quase todas as salas não são refrigeradas por aparelhos de ar-condicionado.

Já o vereador Willian Cezar (PSB) denunciou que não houve aulas em diversas escolas por problemas como salas alagadas, neste período de retorno do período escolar.

Na área de saúde, Willian Cezar disse ainda, que conhece muitos casos de pessoas que conseguem transferência do Hospital Municipal São Francisco Xavier para outras unidades, mas não podem contar, para isso, com as ambulâncias da cidade. “A Câmara Municipal de Itaguaí devolveu R$ 1,5 milhão para a prefeitura. É uma quantia com que dá para fazer muita coisas”, disse.

Líder do governo, o vereador Sandro da Hermínio saiu em defesa do atual prefeito. “O poder Executivo já pagou mais de R$ 30 milhões de salários atrasados. Quanto de insumos, medicamento, material de limpeza, uniformes, material como esses poderíamos comprar com os mais de R$ 30 milhões gastos com salários atrasados deixados pela administração anterior?”, questionou. Sandro da Hermínio foi adiante. “Imagina se tivéssemos assumido o município com as 12 ambulâncias que o prefeito atual deixou funcionando?”, defendeu o parlamentar.

Sandro da Hermínio informou que o atual governo pegou um município arrasado, com todos os funcionários sem salários. “E ainda assim, falta muito pouco para zerar. Acho que a oposição tem de fazer isso mesmo, tem de cobrar, apontar os erros”, salientou. Ele sustentou que todo o ajuste financeiro foi feito em 2017. “A partir desse ano o governo vai andar. As coisas vão começar a se encaixar. Ainda temos muito trabalho, mas estamos caminhando”, completou.

O vereador Waldemar Ávila (PHS) apresentou um requerimento de informações sobre as condições de atendimento às pessoas que necessitam do serviço de ambulâncias, inclusive com informações sobre eventuais recursos para a sua manutenção. “Eu me compadeço com as pessoas que sofrem. A gente só quer saber sobre esse dinheiro. Se o senhor prefeito não tiver recebendo esse dinheiro, deve buscar esses recursos, porque há moradores que necessitam desse tipo de atendimento”, sugeriu. “O mínimo que o prefeito tem de disponibilizar é um transporte decente. Estou aqui para apoiar e dizer que nossos munícipes necessitam de um transporte”, emendou o vereador Ivanzinho (PSB).

Apesar dos pleitos objetivos em defesa do requerimento, o documento acabou rejeitado diante da promessa do líder do governo, vereador Sandro da Hermínio (PT do B), de que iria conseguir e encaminhar tais informações ao gabinete do colega solicitante.