Loading...
Apr 22, 2018 Last Updated 4:35 PM, Apr 20, 2018

Servidores da educação optam por paralisação no dia 10

Publicado em Poder
Ler 1194 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Trabalhadores debateram sobre o desrespeito da Prefeitura em relação a limitar que valida à lei da migração entre outras pautas

DEBATES Trabalhadores da educação da rede municipal de ensino de Itaguaí se reuniram em assembleia na manhã desta quarta-feira (1). O local para a reunião foi o Colégio Clodomiro Vasconcelos. O Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe/Itaguaí) passou os informes sobre questões que foram judicializadas pelo sindicato, como a migração, e realizou esclarecimentos.

Durante as avaliações, ficou caracterizado um grande descontentamento da categoria em meio ao que consideram ataques da gestão municipal. Para os trabalhadores, é necessário que haja uma mobilização maior, mesmo sem greve, para frear as medidas da Secretaria de Educação que vão contra as conquistas da categoria.

A categoria debateu sobre carências de professores nas unidades de ensino, descontos nos pagamentos dos funcionários em relação ao mês anterior e possíveis fechamentos de escolas, no processo chamado de “otimização da rede”.  “Oficialmente, a gente não recebeu nenhum documento apontando o fechamento de escolas. Porém, essas informações têm chegado ao Sepe através de pais, através da comunidade escolar, no qual o foco seriam principalmente as escolas em zona rural. A gente entende que é muito ruim, as crianças ficam muito vulneráveis quando elas são afastadas de sua comunidade, é perigoso”, ressaltou a presidente do Sepe/Itaguaí, Dulce Figueira.

Na assembleia foi deliberada uma paralisação da categoria, por 24h, no próximo dia 10. O intuito é que os servidores compareçam as manifestações contra as reformas, como a da previdência que está tramitando em Brasília. O Sepe disponibilizará um ônibus para levar os trabalhadores para a manifestação no centro do Rio.

Anteriormente a isso, também no dia 10 a partir das 12h, será promovido um ato na Praça Barão de Teffé, no centro de Itaguaí. Com pautas como o desrespeito a limitar obtida pelo sindicato que valida à lei da migração, descontos nos salários que servidores estariam sofrendo e um possível processo de fechamento de unidades de ensino em áreas rurais de Itaguaí.

Em uma possível nova audiência com a Secretaria de Educação Municipal, os servidores querem questionar também sobre a otimização de turmas, porque isso poderia gerar outros problemas na rede municipal, além de buscar esclarecimentos em relação à informação de que filhos de funcionários e professores não poderiam matricular seus filhos nas unidades em que trabalham.

Os presentes à assembleia sugeriram ainda que o Sepe dê maior publicidade aos possíveis casos de descontos nos pagamentos dos servidores da educação municipal, usando as redes sociais. Houve relatos de profissionais que não teriam recebido o último pagamento de forma integral.

CLEITON BEZERRA

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Mais Poder

Comissão de esporte recebe ministro

APRESENTAÇÃO Recentemente empossado, o ministro... (leia mais)

Últimas Notícias

Terceira Idade de Itacuruçá celebra o Dia do Índio com gincana

Os participantes realizaram diversas atividades... (leia mais)

Dificuldade na aprendizagem é tema de capacitação

MANGARATIBA A Diretoria de Assistência... (leia mais)

A caminho da regularização empresarial

Sebrae vai promover encontros destinados... (leia mais)