Nov 17, 2017 Last Updated 5:46 PM, Nov 17, 2017

Audiência pública discute empregabilidade em Itaguaí

Trabalhadores em reunião com vereadores e secretário de Desenvolvimento Econômico no dia 28 de setembro Trabalhadores em reunião com vereadores e secretário de Desenvolvimento Econômico no dia 28 de setembro (FOTO CLEITON BEZERRA)
Publicado em Poder
Ler 480 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Trabalhadores e empresas vão debater lei, qualificação e oportunidades na cidade

 

DEBATE A terça-feira (24) já começa agitada na Câmara Municipal de Itaguaí. Está marcada para esta manhã, uma audiência pública para debater a questão da empregabilidade no município. Proposta pelo vereador Ivanzinho (PSB) e assinada pelos 17 parlamentares da Casa, a reunião pretende esclarecer dúvidas geradas após aprovação da Lei 3.510, de autoria do vereador Zezé (PRTB), que dispões sobre a obrigatoriedade das empresas instaladas na cidade de empregarem até 70% de mão de obra itaguaiense.

Desde que a lei foi sancionada, em junho, algumas questões têm sido levantadas. Especialmente depois que o vereador Gil Torres (PTN), alegando tentar ajudar aos desempregados da cidade, passou a receber levas de pessoas em seu gabinete para entregar-lhes uma carta de recomendação. Desempregados em busca de uma colocação formaram filas enormes, logo nas primeiras horas do dia, em frente à Câmara.

Outro fator que motivou a audiência foi a constante presença de desempregados nas sessões ordinárias da Casa. O objetivo dos trabalhadores é cobrar dos edis mais atitude em relação à questão do desemprego na cidade e em relação a fazer as empresas cumprirem a lei municipal. Os trabalhadores também têm se reunido na praça da cidade e se manifestado não apenas na Câmara, mas também nas ruas.

Para o autor da ideia da audiência, Ivanzinho, a reunião vai servir para esclarecer muitas coisas. “Como é a presidência da Casa que está organizando, eu não sei que empresas estarão presentes. O Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil (Sintracon) e o Sindicato dos Metalúrgicos entregaram uma lista com cem nomes de empresas na cidade. É a oportunidade de os trabalhadores se exporem para elas. Algumas companhias alegam que em Itaguaí não há mão de obra qualificada e os trabalhadores afirmam que têm. Vamos discutir a Lei 3.510 também, porque algumas empresas afirmam que ela é inconstitucional”, disse o parlamentar.

Os trabalhadores que têm ocupado a assistência do plenário alegam que os vereadores precisam agir mais incisivamente em prol de seus eleitores. Eles pedem maior fiscalização nas empresas para saber se a lei está sendo cumprida. A audiência de hoje foi definida em reunião que aconteceu no dia 28 de setembro, em que estavam presentes, além dos trabalhadores, vereadores e o secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Beto da Reta.

Para o diretor do Sintracon, Tiago Cunha, os desempregados veem com bons olhos o início dessa movimentação por garantia de emprego para os moradores de Itaguaí, mesmo achando “raro” o interesse de tantos vereadores na questão. “A Câmara dos Vereadores está fechada com os trabalhadores, uma coisa inédita. As empresas vêm de fora e já trazem soldador, pedreiro. Aqui um encarregado de uma obra traz do Maranhão, traz da Bahia, traz toda a equipe que ele quer de profissionais e o povo da cidade fica só olhando”, finalizou o diretor do sindicato. A audiência está marcada para as 9h, na Câmara de Vereadores de Itaguaí. A conferir.