Nov 17, 2017 Last Updated 5:46 PM, Nov 17, 2017

Audiência é adiada, mas servidores se mobilizam em Itaguaí

Servidores da Saúde e Assistência realizaram assembleia na frente do fórum de Itaguaí Servidores da Saúde e Assistência realizaram assembleia na frente do fórum de Itaguaí FOTO CLEITON BEZERRA
Publicado em Poder
Ler 848 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Juiz passou audiência para o dia 9 de novembro e funcionalismo promete nova vigília na porta do fórum

 

MOBILIZAÇÃO Os servidores públicos de Itaguaí continuam sem um calendário para receberem seus vencimentos atrasados. O juiz Adolfo Vladimir Silva da Rocha adiou, pela segunda vez, a audiência, que aconteceria nesta quinta-feira (19), em que o prefeito de Itaguaí deveria estabelecer um calendário com datas de vencimentos atrasados do município.

No horário da audiência, os servidores prometiam fazer uma vigília na frente do fórum da cidade, Na Rua General Bocaiúva. O Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe/Itaguaí) conseguiu avisar a sua categoria sobre o adiamento. Mas funcionários da Saúde e Assistência ainda compareceram ao local marcado para a mobilização e já que não havia audiência, optaram por realizar uma assembleia no local.

“A gente aproveitou a convocação da audiência para poder chamar a categoria e também fazer uma vigília pela audiência, onde a gente tem a expectativa de, enfim, se construir um processo negocial com essa gestão déspota, que só age contra os munícipes e contra os servidores. A audiência foi suspensa, mas a gente resolveu manter a assembleia para poder passar os informes para os trabalhadores”, explicou a líder sindical, Cristiane Gerardo.

O argumento do juiz Adolfo Vladimir para desmarcar a audiência foi a falta de documentos: “Considerando o alegado pelo MP, notadamente quanto à apresentação incompleta dos documentos a realização da audiência especial designada para amanhã (19/10/2017) será pouco produtiva”. O magistrado acabou remarcando nova audiência para o dia 9 de novembro. 

Para a nova data, novas manifestações também estão sendo marcadas. “Estamos mobilizando a categoria para no dia 9 descer como um rio na porta do fórum, se fazer presente, montar uma vigília e pedindo para as instituições fiscalizadoras do município cumprirem o seu papel e ajudarem os servidores a saírem dessa situação decrépita que eles hoje se encontram”, disse a líder sindical, que ainda disse não haver qualquer novidade sobre pagamento e afirma que a gestão persegue os servidores.

Saúde e Assistência Social estão em greve desde o dia 16 de janeiro. Com isso, alegam que o governo municipal imprimiu uma série de assedio a servidores em greve, promovendo transferências arbitrárias e cortes de salários. “Fizemos já uma oitiva junto ao Ministério Público sobre as transferências arbitrárias e temos certeza de que o MP entendeu a perseguição que está ocorrendo e a gente espera que isso seja revertido o mais rápido possível pela determinação da Justiça”, disse Cristiane.

Sobre as dificuldades de pagamento que a Prefeitura de Itaguaí, a sindicalista alega que a culpa não é apenas da crise financeira, mas da contratações indevidas. “O município de Itaguaí tem 5.400 funcionários e simplesmente mais de mil são comissionados. Ou seja, para cada três servidores dessa cidade, você tem um chefe. Aí, o prefeito fala que não tem dinheiro para pagar o servidor. Não vai ter nunca enquanto a prefeitura continuar sendo um cabide de emprego para poder dar conta dessa base aliada que tem na Câmara de Vereadores e para poder dar conta de que o município gire em torno dos interesses do prefeito Carlo Busatto”.

Enquanto isso, os servidores seguem sem 13º, férias e outros vencimentos.

Dilceia Norberto

 

Cleiton Bezerra

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.