Nov 17, 2017 Last Updated 5:46 PM, Nov 17, 2017

Pais comemoram lei que garante irmãos na mesma escola

O vereador Willian Cezar disse que a ideia da lei foi oriunda de reclamação de pais que passam pela dificuldade O vereador Willian Cezar disse que a ideia da lei foi oriunda de reclamação de pais que passam pela dificuldade FOTO CLEITON BEZERRA
Publicado em Poder
Ler 616 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Filhos em unidades diferentes gera transtornos para responsáveis que precisam trabalhar

JUNTOS Na sessão ordinária da semana passada, a Câmara Municipal de Itaguaí aprovou, em primeira discussão, a Lei 3.575, de autoria do vereador Willian Cezar (PSB), que dispõe sobre a garantia de vagas para irmãos na mesma unidade escolar. Se essa lei passar pelo parlamento e for sancionado pelo prefeito Carlo Busatto Junior, o Charlinho (PMDB), trará uma grande tranquilidade para pais de alunos, que enfrentaram dificuldades para colocar os filhos na mesma escola.

Para a presidente do Conselho Municipal de Educação, Anna Paula Sales, a lei vai de encontro aos anseios de muitos responsáveis que enfrentam dificuldades para encontrar vagas, em uma mesma escola, para seus filhos.

“Realmente era uma dificuldade grande no município essa situação, porque tinha que espalhar a criança por diferentes escolas. Então, essa iniciativa é sensacional. Vai ajudar muitas mães, principalmente as que trabalham e vão poder concentrar seus filhos em uma única unidade escolar. Eu mesma já fui vítima disso, porque um filho estudava em uma escola e tinha dois em outra. Então, essa lei vem bem a calhar com as necessidades de muitas mães. Show de bola para as mães e para as crianças, porque a escola é uma extensão da casa e um filho em cada escola não faz nem sentido. Tem-se que respeitar os núcleos familiares, as relações afetivas entre os irmãos. Acho a lei muito boa”, comemorou Anna Paula.

A situação para matricular os filhos na mesma unidade escolar só fez crescer com o fim de turmas inteiras em várias escolas do município, causada pelo processo de otimização que a secretária de Educação, Andréia Cristian Busatto, está implantando na rede de Itaguaí. Com isso, muitos alunos de determinadas unidades tiveram que mudar de turno ou precisaram até mudar de escola.

Em entrevista ao ATUAL no mês de julho, a secretária disse que a otimização se dava por conta do número de alunos em determinadas turmas e a falta de profissionais para ensinar em horário integral. “Nós não fechamos nenhuma unidade de ensino. O que estamos fazendo é otimizar algumas turmas, porque tem escolas que estão com sete ou oito alunos em uma turma em uma mesma escola. Queremos que as turmas fiquem no máximo com 30 crianças. Estamos fazendo a  redução de carga horária, porque as turmas que tinham horário integram estão sem profissionais que possam ficar”, explicou, à época, a secretária.

Mas para muitos professores, a carência, que culminou na otimização, foi causada pela própria secretaria, quando pôs fim ao regime de migração para 40 horas e deixou turmas inteiras sem professores de várias disciplinas, em várias escolas. Assim, com a preocupação da Smec em otimizar, mesmo que custe a separação de irmãos.

Para o vereador Willian Cezar, autor da lei, a educação municipal tem sofrido graves ataques e as pessoas estão reclamando nas ruas cada vez mais. “A ideia surgiu no nosso Gabinete de Rua. Alguns pais foram reclamar da dificuldade de levar seus filhos em escolas diferentes.  Dessa reclamação, transformamos em projeto de lei”, explicou o vereador.

Hoje, a lei passa por sua segunda discussão e tem chance de ser aprovada. Mas ainda falta saber se depois dos trâmites no parlamento, o prefeito vai sancionar a tão desejada lei.

Dilceia Norberto

 

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.