Nov 19, 2017 Last Updated 5:46 PM, Nov 17, 2017

Prefeituras da Região Metropolitana acertam acordos de cooperação

O PREFEITO de Seropédica, Anabal Barbosa de Souza, foi um dos participantes do encontro no Rio O PREFEITO de Seropédica, Anabal Barbosa de Souza, foi um dos participantes do encontro no Rio FOTO DIVULGAÇÃO EDVALDO REIS
Publicado em Poder
Ler 769 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Encontro definiu data para a apresentação de demandas específicas de cada município

ENTENDIMENTO As 21 prefeituras que integram a Região Metropolitana do Rio de Janeiro firmarão acordos de cooperação técnica para integrar as inteligências, trocar informações, treinar e capacitar suas guardas municipais. As propostas foram apresentadas em reunião no Centro de Operações Rio, e cada prefeitura analisará as demandas específicas para, em 30 dias, assinarem os termos com a capital. A Prefeitura do Rio propôs fazer parcerias com os demais municípios nas áreas de urbanismo, saúde, educação e cultura.

Entre as reivindicações dos prefeitos, estão o aumento do efetivo da Polícia Rodoviária Federal e o retorno das obras do Comperj, em Itaboraí. Eles pretendem formar uma comissão para ir a Brasília e conversar com o Governo Federal sobre os dois assuntos. Crivella ressaltou que a cooperação entre os municípios deve ir além da questão da segurança pública. “Estamos preocupados com a entrada de fuzis e munição no estado. Também queremos a finalização do Comperj. Mas a ideia é que a gente possa se articular para outras parcerias, como fazer compras conjuntas de medicamentos, por exemplo”, disse ele.

Segundo o secretário municipal de Ordem Pública, Paulo Amêndola, o objetivo é integrar a Região Metropolitana. “Não podemos jamais, com uma crise econômica tão forte, agirmos sozinhos na administração de cada município isoladamente. A decisão foi integrar os municípios, no sentido de discutir questões que os afetam e, também, soluções que possam fazer em conjunto. Vamos negociar em conjunto com o Governo Federal uma ação mais efetiva nas rodovias, como o Arco Metropolitano, que está abandonado”, salientou o secretário, que aproveitou para colocar a Guarda Municipal do Rio à disposição dos outros prefeitos para cursos de capacitação e outros projetos.

Prefeito de São João de Meriti, João Ferreira Neto lembrou de regiões como Chapadão e Pedreira, que pertencem ao Rio de Janeiro, mas servem de rota de fuga para criminosos que praticam roubo de carga na Rodovia Presidente Dutra. Para ele, o combate à criminalidade só será efetivo com a integração de todas as esferas de governo. “Houve realmente uma migração dos bandidos para a Baixada Fluminense com a criação das UPPs, e há o problema do Chapadão e Pedreira, que fazem divisa com São João de Meriti. Os bandidos invadem a nossa cidade, bagunçam a nossa cidade, e voltam correndo, sem nenhum constrangimento. Esse colegiado aqui foi uma atitude positiva que vai trazer benefícios para a Baixada Fluminense. Mas se ficar nisso aqui não vai resolver nada se não tiver uma ajuda federal”, enfatizou.

Ferreira Neto adiantou que a prefeitura de São João de Meriti assinou um convênio com a Polícia Militar do Estado e vai pagar o Programa Estadual de Integração de Segurança (Proeis), uma espécie de hora extra para o policial trabalhar durante as folgas, para aumentar o efetivo da cidade em 60 agentes. “O Batalhão de São João de Meriti só tem 230 policiais para tomar conta de uma cidade com mais de 600 mil habitantes, 58 morros, dos quais 90% estão dominados pelo tráfico. Ainda não sei qual vai ser o reforço das tropas federais, mas eu assinei um convênio do Proeis e estou trazendo mais 60 policiais, pagos pela prefeitura, para fortalecer o policiamento junto com a guarda municipal, com custo de R$ 340 mil por mês”, informou.