Loading...
Sep 22, 2018 Last Updated 2:58 PM, Sep 21, 2018

Thiago Silva e Miranda comentam o bom desempenho da defesa

MIRANDA RESSALTA a qualidade das peças de reposição para explicar o bom desempenho atrás MIRANDA RESSALTA a qualidade das peças de reposição para explicar o bom desempenho atrás FOTO LUCAS FIGUEIREDO/CBF
Publicado em Esporte
Ler 294 vezes
Avalie este item
(0 votos)

SELEÇÃO BRASILEIRA Um gol sofrido em quatro jogos na Copa do Mundo Rússia 2018, e apenas seis em uma sequência de 25 jogos desde que o técnico Tite assumiu a Seleção Brasileira. Apenas uma derrota neste período. Em entrevistas, os jogadores brasileiros usam a expressão “saber sofrer” para explicar a manutenção do ótimo desempenho do sistema defensivo do Brasil.

 Capitão na vitória contra o México por 2 a 0, o zagueiro Thiago Silva é um dos pilares deste ótimo aproveitamento na Copa. O camisa 2 explica que o termo significa a percepção do time sobre os momentos em que são necessários os esforços coletivos durante o jogo. E elogia o papel de toda a equipe na estrutura de defesa, que começa lá no ataque. “O número é bom (poucos gols sofridos). Para nós defensores é muito gratificante sair de cada jogo sem sofrer gols, com a equipe fazendo lá na frente. É o trabalho que vem sendo feito no dia a dia que está sendo importante. Mas acredito que não é só o setor defensivo que tem tido êxito. Os nossos jogadores do ataque também têm tido grande parcela de compreensão (do sofrer junto)”, destacou.

 Miranda ressalta a qualidade das peças de reposição do Brasil na Copa para explicar o bom desempenho atrás. O camisa 3 destaca as entradas dos dois laterais Fágner e Filipe Luís. A dupla soube aproveitar a oportunidade e manteve o nível de seus antecessores.  “Aqui na Seleção só tem jogadores de grandíssimo nível. Todos esperando uma oportunidade. Não só o Fagner e o Filipe. Todos aqueles que vêm entrando estão aproveitando a oportunidade. Nesta Copa do Mundo, o Brasil já precisou em campo, além de Fágner e Filipe Luís, de Fernandinho, Renato Augusto, Douglas Costa, Marquinhos e Roberto Firmino. Este último, inclusive, autor do segundo gol brasileiro na vitória sobre o México. É a força do sistema coletivo do Brasil”, concluiu Miranda. (Fonte: CBF).