Jan 22, 2018 Last Updated 5:06 PM, Jan 19, 2018

Destaques

Light está com vagas para elet…

OPORTUNIDADE- A Light divulgou na quinta-feira (18), por meio das redes sociais...

Postos de vacinação contra a f…

FEBRE AMARELA – Aumentou o número de postos de vacinação de Seropédica que estar...

Protesto pela vacina da febre …

Moradores do bairro Vista Alegre fecharam rua da UBS pedindo vacina. A dose é of...

Juiz mantem liminar e final da Guanabara terá apenas torcida do Flu

Reunião no Tribunal de Justiça do Rio entre Clubes, Ferj e Juiz Schilling sobre torcida única Reunião no Tribunal de Justiça do Rio entre Clubes, Ferj e Juiz Schilling sobre torcida única FOTO IGOR SIQUEIRA
Publicado em Esporte
Ler 2796 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Posição do Botafogo de defender torcida única pesou na decisão do magistrado

 
ÚNICA A decisão da Taça Guanabara, que acontece no próximo domingo, no estádio Nilton Santos, entre Flamengo e Fluminense será com torcida única. O juiz Gulherme Schilling, após reunião com os clubes do Rio, Ferj, Polícia Militar e Ministério Público, decidiu manter a liminar. Com isso, só tricolores poderão estar na arquibancada. Insatisfeitos, a dupla Fla-Flu e a Ferj recorreu da decisão ainda nesta quinta-feira.

Além do entendimento do juiz e da argumentação do Ministério Público, pesou a postura do Botafogo, que se manifestou a favor da manutenção da torcida única enquanto não houver uma apuração sobre a morte do torcedor Diego Santos, atingido por um espeto de churrasco antes do clássico contra o Fla.

“O Botafogo ainda continua insatisfeito porque nada ainda foi apurado. Temos um torcedor nosso que foi alvejado com um espeto de churrasco. Se não fosse a Guarda Municipal, teria coisa melhor. Resolvido isso, dando uma satisfação para a sociedade, que precisa, o Botafogo volta à situação de jogar com duas torcidas. Liminar não pode brincar. Tem que ser cumprida”, disse o vice-presidente alvinegro, Nelson Muffarej, garantindo que, se o Botafogo estivesse na final, teria o mesmo posicionamento: “Somos coerentes”.

O presidente do Flamengo, que antes defendia o diálogo, passou a ver o recurso judicial como solução para derrubar a torcida única.