Sep 19, 2017 Last Updated 9:26 PM, Sep 18, 2017

Entre romances e erotismo nos livros da Bienal Rio

A escritora LM Gomes com a camiseta criada pelo seu fã clube, as LMetes A escritora LM Gomes com a camiseta criada pelo seu fã clube, as LMetes FOTO WELINGTON CAMPOS
Publicado em Cotidiano
Ler 495 vezes
Avalie este item
(0 votos)
Marcado sob

Com quatro anos de carreira e oito livros publicados, LM Gomes vibra com o crescimento do interesse pela literatura nacional

INTRODUÇÃO A 18ª edição da Bienal do Livro do Rio começa no dia 31 e Itaguaí terá a sua representante. A servidora pública, que atua na Procuradoria Geral do município, mãe e escritora em ascensão, LM Gomes, vai participar do evento e fará o lançamento de não um, mas três livros. A autora voraz de livros com histórias românticas e eróticas está em uma das melhores fases de sua vida. Cheia de planos e sonhos, mas com muito pé no chão.

LANÇANDO

Marcia Gomes, seu verdadeiro nome, já é uma veterana das bienais. Mas confessa que a expectativa para a que acontece na próxima semana é muito grande e está sofrendo com o peculiar nervosismo pelo qual passam os artistas antes de uma estreia. “Eu vou estar num estande muito maior, com um trabalho incrível. Eu estou muito ansiosa para ter essa experiência, de estar num estande de editora grande. Agora meus livros estão em algumas livrarias. Eu vou um pouquinho mais conhecida e me sinto um pouquinho mais confiante. Mas sempre fico pensando: será que vai aparecer alguém? Será que as pessoas sabem quem eu sou?”, questiona LM Gomes.

Apesar da ansiedade, LM reconhece que, desde 2015, quando o ATUAL a entrevistou pela primeira vez, as coisas mudaram bastante. Naquela época ela estava às véspera de lançar um livro também na Bienal do Rio. No entanto, ela já se tornou bem mais conhecida, com seus oito títulos publicados fisicamente. O ápice, para a escritora itaguaiense, foi o lançamento do livro ‘Doce perfeição’, na Bienal de São Paulo 2016. “Eu tive uma fila linda, de três horas. Para mim foi uma coisa muito inédita, porque as pessoas estão procurando o autor nacional. Isso era uma coisa que não existia muito. As pessoas iam lá para ver os maiores, para ver o autor internacional. Hoje em dia, as pessoas estão indo com seus caderninhos para ver autor nacional”, conta a animada LM.

Com quatro anos de carreira como escritora e mais de oito títulos depois – porque ainda há material online – LM ainda leva uma vida comum pelas ruas do centro de Itaguaí e nas ruas de Coroa Grande, onde mora com a filha Laura, de seis anos, sua grande companheira. Ela reconhece que sua rotina é bem cansativa. “De 8h às 17h eu sou funcionária pública. De 18hàs 22h eu sou mãe e depois eu sou escritora. Assim, eu durmo muito pouco. Vou dormir depois das 2h, 3h da manhã. Quando estou em fase de produção de um livro então... Agora eu sou colunista também e toda semana eu tenho que ter um texto. Está tudo bem corrido. Mas os resultados estão ajudando bastante a ter um gás para continuar. A gente ver que a literatura nacional está se expandindo mais. As pessoas estão olhando mais para o autor nacional”, diz.

SUPER HEROÍNA

A escritora revela também que se sente como se tivesse uma vida dupla. Pois para muita gente, ela é simplesmente Marcia, a auxiliar administrativa da procuradoria da Prefeitura de Itaguaí. “É curioso porque pouca gente sabe que eu sou escritora na prefeitura. Eu trabalho na Procuradoria Geral. As pessoas se admiram quando sabem que eu sou escritora, para eles é uma outra realidade. Eu acho que usar o pseudônimo me ajuda bastante nisso, a separar um pouco, porque ali eu sou só a Marcia. Tem um senhor chamado Oswaldo que quando soube que eu autografava livros perguntou: ‘como assim? Mas ela é só auxiliar administrativa’. Isso é muito legal. É como ter uma vida secreta. É como Clark Kent, que tira os óculos e vira o Super Homem. É muito legal”.

Marcia ou LM Gomes começou a publicar suas historias na plataforma canadense ‘Wattpad’, onde alcançou a maraca de 12 mil seguidores. Hoje ela tem um fã clube chamado as ‘LMetes’, com direito a camiseta com nomes dos personagens masculinos dos seus livros e tudo. No entanto, em termos financeiros, ela ainda precisa ralar muito. A escritora diz que o que ganha com suas historias complementa sua renda e uma ajuda muito importante, mas ela ainda não pode se dar ao luxo de abandonar o emprego como servidora pública, embora acredite que vai chegar nesse patamar e trabalha para isso.

RENDIMENTOS

Marcia afirma também que a maior renda de seus livros vem das publicações independentes, feitas na Amazon, que paga 70% de royalties, enquanto as editoras – que garantem mais status – pagam 10%. O livro ‘Desejo oculto’ foi lançado inicialmente na Amazon e atingiu 500 mil leituras online, o que fez com a Rico Editora comprasse os direitos da obra para publica-lo fisicamente e lança-lo na Bienal do Rio.

Além de ‘Desejo Oculto’, LM vai lançar também ‘Matheus Ferraro’ e ‘Divas?’, pela Qualis Editora. Este último livro é uma coletânea que terá histórias de mais três autoras. “Cada uma está sendo acusada de um crime diferente. Se elas são divas ou não, o leitor vai ter que descobrir. ‘Matheus Ferraro’ já tem uma pegada mais para o romance mesmo, que é a minha área. É a historia de um casal, tem intrigas, mistério, tudo isso que a gente gosta. ‘Desejo oculto’ que está saindo agora pelo Rico Editorial tem uma pegada diferente dos outros livros que fiz. Puxa mais para o erotismo, mas de uma forma bem inteligente”, destaca LM Gomes.

Com toda essa movimentação, LM agora conta com a orientação da DB Assessoria e seu agente dá as orientações que ela necessita. Com isso, ela tenta manter um equilíbrio em suas atividades diárias. Ela está com uma agenda bem cheia depois da Bienal e até o fim do ano. Ela fará várias viagens pelo Brasil para lançar seus livros, que são inspirados no seu próprio dia a dia. “Uma vez eu estava no ponto do ônibus, tinha um motoqueiro parado e eu olhei. Dali já me veio uma história na cabeça. Além disso, tem aquela coisa de querer acreditar que ainda existe o amor. Eu quero dar um alento às pessoas, porque quando eu estou escrevendo e saio da realidade é um alento. Então, para quem está lendo, que isso seja um alento também. A minha maior inspiração é querer sair um pouquinho da realidade, mesmo que seja através de páginas”, diz.

Apesar de viajar pelo país com voagens e hospedagens bancadas pelas editoras, LM se recente da falta de apoio que Itaguaí oferece a seus artistas. “Sinto falta de apoio cultural em Itaguaí. De eventos voltados para Literatura. Itaguaí tem escritores muito bons, mas são muito pouco divulgados, não existe um apoio efetivo”, lamenta a escritora.

Ela também transmite uma mensagem para quem quer se lançar nas carreiras de seus sonhos. “Que as pessoas que têm vontade de fazer alguma coisa diferente, que acreditem mais no seu potencial e vamos à luta. Nada é do dia para a noite. Às vezes, parece que é uma coisa cheia de glamour, mas existe toda uma luta por trás e é necessário valorizar mais as pessoas que fazem arte, porque a grande maioria rala muito para ter um espaço pequenininho. Peço que as pessoas acreditem mais na literatura nacional, que é o que eu represento”, conclui LM Gomes, que sabe que alcançou bastante para os quatro anos de carreira, mas ainda quer mais. Que venham muitas páginas.

 

Dilceia Norberto

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Última modificação em Sexta, 25 Agosto 2017 10:23