Aug 23, 2017 Last Updated 4:06 PM, Aug 23, 2017

Povo fala e vereadores se calam em sessão de Itaguaí

Povo fala e vereadores se calam em sessão de Itaguaí FOTOS CLEITON BEZERRA
Publicado em Poder
Ler 254 vezes
Avalie este item
(0 votos)

O presidente da Casa interrompeu a sessão após manifestações indignadas da plateia

Dilceia Norberto

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

PALAVRA Sem trégua servidores compareceram à Câmara de vereadores mais uma vez nesta quinta-feira (10) e passaram a protagonizar o discurso da sessão ordinária da Casa Municipal de Itaguaí, que acabou sendo encerrada pelo presidente, Dr. Rubem Ribeiro, durante a leitura da ordem do dia. Os supostos representantes ficaram calados.

O clima já estava tenso mesmo antes da assistência intervir nas falas dos parlamentares. Durante a leitura da ata da sessão anterior, ninguém prestou a atenção e havia um clima um tanto tenso, em que os edis começaram a confabular. Tanto do lado dos suprapartidários, quanto do lado dos governistas. A ata continuou a ser lida e quando chegou ao fim, houve a primeira manifestação da plateia. Pois apenas os governistas aprovaram-na. A plateia vaiou.

O vereador Willian Cezar (PSB) usou a tribuna para que se registrasse o fato de que a ata fora aprovada sim, mas com reprovação dele, de André Amorim (PR), Genildo Gandra (PDT), Ivanzinho (PSB) e Waldemar Ávila (PHS). Não simplesmente aprovada como proferira o presidente.

DISCURSO

Mas a sessão tomou outro rumo mesmo quando a ordem do dia começou a ser lida. O vereador Ivanzinho fez uma indicação em que solicita uma moção de congratulações e elogios ao pessoal da base do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). O autor da moção foi à tribuna justificar sua indicação e parabenizar os trabalhadores. Na ocasião, o vereador também falou dos problemas e do episódio recente em que uma ambulância teve que ser empurrada por parentes de um paciente no bairro de Chaperó.

A insatisfação tomou conta da assistência quando o médico, ex-diretor do Hospital Municipal São Francisco Xavier (HMSFX) e atual vereador, Dr. Zóia (PSD), usou a tribuna para parabenizar Ivanzinho pela indicação. Ficou calado. Pois a plateia se indignou. Havia gritos de ‘vendido’ e um cidadão, motorista de ambulância, levantou com dedo em riste na direção do vereador e assumiu o discurso. O presidente da Casa solicitou à plateia que respeitasse a palavra do vereador, mas ninguém o queria ouvir qualquer palavra.

DESABAFO

O cidadão chama-se Carlos Leandro da Silva dos Santos, motorista de ambulância em Itaguaí há 14 anos. Ele falou com indignação que o vereador Carlos Zóia foi o primeiro a prejudicar a categoria, chegando a coagir os trabalhadores em sua sala na época em que era diretor do HMSFX. “Éramos coagidos a andar com ambulância sem manutenção. Trabalho aqui há 14 anos e nunca vi manutenção em viatura aqui. Eles deixam rodando sem condições, sem documentação. Não nos pagavam a diária. É o único município, no país inteiro, que eu vejo que as viaturas da Samu não têm placa”, desabafou Carlos Leandro.

Depois que Carlos Leandro fez seu desabafo, um outro cidadão assumiu o discurso e afirmou que o povo tinha que falar sim, porque os vereadores estavam representando a população muito mal. Disse ainda que o presidente não deveria mandar o povo calar, porque eram eles que tinham que ouvir o que a população tem a dizer. “Não é o poste que mija no cachorro. É o cachorro que mija no poste”, disse o munícipe, que ainda, em seu discurso, afirmou que teve precisou de atendimento para um amigo no HMSFX, mas teve que levar o amigo para Campo Grande, porque no hospital da cidade não tinha como fazer o atendimento.

Enquanto a plateia protagonizava o discurso, o presidente da Casa parece não ter aguentado a pressão e se retirou. Quando voltou, disse: “por falta de respeito aos vereadores, a sessão está encerrada”. Para o povo, o desrespeito vem dos vereadores.

Motorista de ambulância se indigna e faz desabafo contra vereadores durante a sessão ordinária

Vereadores deixam a plenária após encerramento da sessão, e que o povo foi protagonista